segunda-feira, 6 de março de 2017

O que (eu acho que) tem de bom pra ler na net #147

1 - Semente de abóbora
Da Helô Righeto. Mais um texto sobre como amigos influenciam nossa vida, em geral com pequenos gestos, como a sugestão de colocar semente de abóbora na salada. Delícia de texto.

2 - O que significa ter um filho autista
Da Déa, no Lagarta Vira Pupa. Mais um texto lindo da Déa, em que ela quebra alguns paradigmas sobre o autismo.

3 - Bumbos bateram em Ouro Preto para celebrar os 150 anos do Zé Pereira
Da Globo. A matéria é linda e emocionante pra quem é de Ouro Preto ou vive aqui. E o Zé Pereira é um dos blocos mais legais da cidade.

4 - What we lose when we give awards to men like Casey Affleck
Da Elle. Tema polêmico, que merece um olhar mais incisivo. O Casey Affleck foi acusado de ter abusado colegas de trabalho em mais um escândalo desse tipo em Hollywood. O texto fala do perigo que é premiar pessoas que até possam ter uma atuação excepcional em seu trabalho, mas que têm comportamentos abusivos. Eu fico pensando se é possível (e quando é possível, também) separar a vida pessoal da vida de trabalho, mas acabo sempre voltando a pensar que é tudo a mesma coisa. Pra mim, falta estudar melhor essa questão. O que não falta é repugnância de pessoas como essas.

5 - I am your father
De O que assistir, da Priscila Armani. O objetivo, aqui é indicar o site e o podcast como um todo. A Priscila faz um trabalho muito bacana de indicações de bons filmes, algumas vezes em programas temáticos, outras com dicas do que ver na Netflix. O documentário que ela indica aqui é um daqueles que está na minha lista para ver depois que o mestrado passar (tá acabando!!!)

6 - Como eu uso o Evernote para organizar a pesquisa da tese
Da Verônica Soares. O Evernote é uma mão na roda pra organizar coisas. Usei muito pouco no mestrado, mas aproveitando as dicas da Verônica e as da Thaís Godinho sobre o GTD (que eu vivo namorando, mas nunca implemento), passo a colocar mais das pesquisas no Evernote.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...