sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

O primeiro a gente não esquece

Em 2015 teve o Ecomig. É o Encontro de Estudantes dos Programas de Pós-graduação em Comunicação de Minas Gerais. Foi a primeira vez na vida que fui a um evento do tipo para apresentar um trabalho. E foi um desastre.

Comentei de leve que foi ruim, mas não expliquei o motivo. Um garoto que tinha acabado de defender o doutorado se sentiu no direito de me detonar de todas as formas possíveis. Até dizer que meu trabalho não deveria ter sido escolhido para ser apresentado ele disse. Enfim... segurei enquanto deu e saí pra chorar no banheiro, ao final da mesa. Continuei lá, na mesma sala, porque teria que relatar um dos trabalhos apresentados na mesa seguinte. Não foi fácil.

O Encontro teria, ainda, a possibilidade de enviarmos o artigo apresentado com alterações, surgidas nos debates, para uma candidatura a um e-book. Os artigos seriam avaliados por professores doutores da área, em análise cega, sendo dois pareceres, no mínimo. Lá fui eu. Fiz as alterações que julguei que cabiam ser feitas. Mudei uma coisa aqui, outra ali. Enviei, preparada para o "não".

Mas veio o "sim". Os dois pareceres foram positivos e pediram poucas alterações. Enviei o artigo modificado e lá foi ele compor o livro do Ecomig 2015. O livro todo pode ser acessado aqui. Deu orgulho? Deu sim. Ainda mais depois da esfregada sofrida durante a apresentação do trabalho.

Por outro lado, um dia vou agradecer ao recém-doutor afetado pela doutorite por ter me detonado. Não soube responder, mal consegui pensar, na hora. Mas foi uma das críticas dele que deu meu norte de pesquisa. Ao fim, minha dissertação responde a uma questão que ele levantou e que, apesar de ter afirmado, não sabia do que estava falando. Sim, vontade de mandar o material pronto pra ele aprender um pouquinho comigo não falta. Mas deixa isso pra lá.

O fato é que habemus capítulo de livro!!! Não conta muito ponto pro Lattes (aliás, não conta nada!), mas conta muito pra autoestima e pra vontade de seguir escrevendo.

Enfim, 2016 chegou com o Ecomig sendo realizado na Ufop. Participei da comissão de Comunicação e vou participar da comissão do E-book. Apresentei um artigo em parceria com a Dayana, minha colega de sala e parceria de sempre nos trabalhos do mestrado. Na mesa em que apresentamos nosso artigo (que vai para os anais e, se tudo der certo, também para o e-book, dedos cruzados!), também fui mediadora. Não foi a primeira vez que mediei uma mesa em congresso, mas foi a mais bacana, por fazer parte do evento.

No fim da mesa, com todos os participantes

Tô curtindo muito a vida acadêmica. Mesmo apanhando de vez em quando.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...