quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Livro: Vocação para o mal



Cá estamos nós às voltas com a terceira aventura de Cormoran Strike e Robin Ellacott. Curto muito os livros da J. K. Rowling, tanto a série do Cormoran quando Harry Potter e, mais ainda, o Morte Súbita.

Vocação para o mal começa com um psicopata enviando, pelo correio, uma perna feminina para Robin, no escritório. Ela está às voltas com o casamento com Mathew, que se aproxima. E acredita que o pacote é de alguma compra realizada para este fim. Quando abre e dá de cara com a perna, ela grita e Cormoran, que mora num pequeno apartamento acima do escritório, aparece para tomar as rédeas do caso. De início, ele tem um suspeito. Mas três pessoas de seu passado surgem em sua mente. As três têm sérios problemas com ele, por algo que ele fez há muitos anos. As três juraram vingança. As três têm, em algum nível, um tipo de problema mental que pode ocasionar violência. Um vive mergulhado em drogas e foi acusado de ter assassinado a mãe de Cormoran. Dois ele conheceu no exército: um é borderline e Cormoran salvou sua esposa, que estava sendo mantida em cativeiro, com muita violência; o outro é pedófilo e teve uma lesão cerebral depois de receber um soco de Cormoran durante a investigação.

O livro é bem violento. Mexeu muito comigo, a ponto de me levar a pesadelos. Porque o alvo aqui são mulheres. Mortes pelo prazer de subjugar mulheres. O livro mexeu com esse medo mais profundo que eu tenho, que acredito que toda mulher tem. Doeu. Muito.

E, mais uma vez, fique à mercê do/a autor/a. A cada momento, um dos personagens surgia como possível assassino. A cada momento, uma certeza. Em seguida, um desmentido. Até a certeza, quase no final. Que, também, não era concreta. J. K. me mata com esses livros, sério mesmo. E me mata de raiva do Mathew também. PQP nesse personagem!

Enfim, a leitura foi ótima, apesar de assustadora. Valeu cada minuto investido, depois dos dias inteiros de análise do meu objeto de estudo. Serviu bem pra descansar a mente. Por mais estranho que isso possa parecer.

Com o fim da leitura, fui ao Twitter oferecer o volume pra quem quisesse. Faço isso de vez em quando. Se alguém topa levar, pago o frete. E um dos ex-alunos de Jornalismo da Ufop logo se manifestou e recebeu o volume em casa.


Taí o livro com o novo dono!

Do Roberto Galbraith (a.k.a J. K. Rowling), também li:
O chamado do Cuco
O bicho-da-seda

______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...