quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Livro: A menina dos olhos molhados



Quando fui pra Goiás, pro aniversário da avó do Leo, eu podia ter levado o 5º volume de As crônicas de Gelo e Fogo), mas desisti porque, como ele é meu objeto de estudo, não seria uma leitura pra passar o tempo - ou pra pegar avião, que é a real necessidade que tenho de livros em viagens. Escolhi A menina dos olhos molhados, da Marina Carvalho. É o último lançamento dela e é a minha história favorita dela (de Azul da cor do mar), contada pelo olhar do Bernardo. 

Olha, foi o livro perfeito pros voos, porque me fez mergulhar na história. Ok, eu já conhecia a história. Mas o outro ponto de vista acrescentou muito, tanto na questão novo-olhar-para-o-mesmo-fato como por acrescentar novas informações à história do Bernardo. Ficamos sabendo de coisas mais obscuras da história dele, que contribuíram para a sua personalidade mais fechada e ranzinza. 

O texto, como sempre, é leve e muito bem escrito. Essa é uma qualidade que a Marina domina e que a coloca na frente de muitos outros autores jovens. Pra mim, faz muita diferença um texto bem escrito. Desde o primeiro livro, Simplesmente Ana, venho destacando a qualidade do texto da Marina, e ela só faz melhorar. O melhor exemplo é O amor nos tempos do ouro, que considero o livro mais maduro dela.

Além da volta à minha história favorita da Marina, teve a volta aos tempos de faculdade - impossível não lembrar daqueles quatro anos de prédio 13, com tantos personagens e situações semelhantes ou que me balançam a ponto de lembrar de algo. Sinto falta daquele tempo. Sinto falta de ter aproveitado mais, de ter a cabeça que tenho hoje. Teria sido menos fechada, menos turrona, mais aberta até mesmo ao aprendizado.  

Enfim, mais um livro muito bacana da Marina, que me dá mais motivos para esperar os próximos.

Já escrevi sobre outros livros da Marina:
Simplesmente Ana
De repente, Ana
Elena, a filha da princesa
Ela é uma fera!
Azul da cor do mar (este continua sendo meu favorito, mesmo eu achando que O amor nos tempos do ouro o superou em qualidade. É uma "favoritice" afetiva, me deixa!)

O amor nos tempos do ouro

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...