quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Livro: As crônicas de gelo e fogo: A dança dos dragões

Um minuto de silêncio pela morte dessa estrelinha aí

Não posso falar tudo o que sei desse livro. E nem é uma questão de spoiler, mas de dissertação mesmo. Taí um dos meus objetos de estudo. Na coleta de dados, preenchi uma tabela com seis colunas e 692 linhas sobre o volume. Olha, é coisa pra caramba! E vai virar uma dissertação bem interessante, acho. Mas vamos à trama.

Com a divisão geográfica entre os capítulos escritos após A tormenta de espadas, começamos o livro com uma nota explicativa do autor, informando que a primeira parte do livro contempla os personagens que foram deixados de lado em O festim dos corvos e, na segunda parte, as tramas se encontram e a história segue normalmente.

Aqui, Jon já é o Comandante da Patrulha da Noite, tomando decisões que deixam todo mundo louco em Castelo Negro. Ele quer trazer para o sul da Muralha o maior número possível de selvagens, para que o exército de wights dos Caminhantes Brancos não aumente. Mas seus colegas de patrulha não concordam com isso. Stannis está por lá, se preparando para seguir para a batalha com os Bolton, enquanto sua mulher e sua filha estão no castelo de Atalaialeste, enquanto não seguem viagem para outro castelo da Muralha.

Temos a trama de Bran, que finalmente encontra o Corvo de Três Olhos e vai, finalmente, começar seu treinamento. Falando nisso, temos Arya assumindo muitas personalidades enquanto segue treinando para virar um Homem sem Rosto. Sansa e Rickon não aparecem na trama - pois é... quem só vê a série vai ter uma história de Sansa bem diferente da original.

A tensão do livro é constante. Daenarys está no meio de um cerco a Meereen, enquanto a cidade também está sendo acometida por uma doença tipo o cólera, chamada Égua descorada. Enquanto isso, precisa resolver o problema representado pelos Filhos da Harpia, que matam seus Imaculados e outros soldados. Um casamento pode ajudar a melhorar o clima, mas surgem outros problemas.

Tyrion está viajando para se encontrar com Daenarys. Passa por muitas aventuras e confusões , sendo capturado por Sor Jorah, por mercadores de escravos, sendo um anão de circo com uma anãzinha chamada Merreca.

E em Westeros, além do problema da Muralha, temos Porto Real fervilhando, cheia de conspirações e conflitos, com os religiosos da Fé dos Sete tocando o terror e sor Jaime Lannister resolvendo problemas nas Terras Fluviais. E Winterfell... meodeos, o que foi Winterfell neste volume!!!

Para resumir, o livro é eletrizante, cheio boas tramas e de insinuações de boas histórias para os próximos volumes.

Comprei esse volume especialmente para a dissertação. A ideia era escrever, marcar, colar flags e post-it à vontade.




Tio Martin não lançou ainda Os ventos do inverno, mas já liberou alguns capítulos, que podem ser lidos, em tradução não oficial, aqui. Tô com vontade de mandar um corvo pra ele, pedindo pra acelerar o processo, porque já estou órfã dos livros. E, no fundo, da dissertação também. Tá acabando!!!


Já lidos:
As crônicas de gelo e fogo: Guerra dos tronos
As crônicas de gelo e fogo: Fúria de reis

As crônicas de gelo e foto: A tormenta de espadas

As crônicas de gelo e fogo: O festim dos corvos
_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...