segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O que (eu acho que) tem de bom pra ler na net #130

1 - Sobre o valor da visita
Do Jelson Oliveira. Olha, visita é uma coisa engraçada. Em geral, não gosto de receber, pelo menos quando avisam em cima da hora ou chegam de supetão. Mas durante, eu gosto muito, e fico morrendo de saudade depois que vão embora. O texto é muito bacana!

2 - Bel Pesce e o empreendedorismo de palco: porque a Menina do Vale não vale tanto assim
Do Izzy Nobre, mais um texto em torno da Bel Pesce e do seu currículo cheio de ações, mas que parece não ser assim tão verdadeiro. Um recadinho pra quem trabalha: inflar currículo é feio demais. Ainda mais se vc enche de informações internacionais, achando que ninguém vai lá conferir. Tá cheio de gente aí que passa alguns meses fora apenas estudando a língua e volta dizendo que teve experiências profissionais. Feio, muito feio.

3 - Insegurança pessoal, falta de autoconfiança, o primeiro passo pra inveja e a crueldade. E pra mentira
Da Rosana Hermann. É uma história mais do que conhecida: quem não tem a beleza cultuada no momento, tem que correr atrás de outras coisas. Mas vive na insegurança. E aí, o roteiro parece, até mesmo, aqueles destinos traçados. Vai vendo...

4 - Aula de OSPB
Do Primeira Fonte. Eu tenho bem clara essa memória dos governos Sarney, Collor, Itamar e FHC. Bem clara. Minha memória é bem seletiva, mas isso ela guardou bem.

5 - Pobre polícia, pobre governo: Acham que é possível cegar uma ideia
Do Sakamoto. Começa na estudante que perdeu a visão em um protesto contra o governo que não deveria ter sido. E termina com perguntas cruciais para quem pensa que uma bala cala cabeças pensantes.

6 - Setembro amarelo: falar e ouvir
Do Sanatório Geral. Sobre a campanha Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio. Entendo muito pouco do assunto e não sei se esse tipo de campanha - de se dispor a ouvir apenas uma vez por ano - funciona. Mas, vá lá, é preciso falar sobre o suicídio e desmistificar um monte de coisas.



_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...