quarta-feira, 25 de maio de 2016

Livro: As crônicas de gelo e fogo: Fúria de Reis



O segundo livro de As crônicas de gelo e fogo consegue ser tão envolvente quanto o primeiro. Aliás, vai ser bom de amarrar o texto assim, heim, seu George R. R. Martin! Parece que não tem uma vírgula fora do lugar (e eu não falo da escrita em si, mas da trama), tudo se encaixa perfeitamente! É de dar gosto - e, também, de sentir invejinha pela capacidade phodástica que o autor tem.

Em A fúria dos reis, temos o cenário de continuidade da história anterior, com a família Stark sentindo a morte de Ned e iniciando uma rebelião, que leva Robb a ser proclamado Rei do Norte pelos vassalos de seu pai. As meninas, Sansa e Arya, estão sofrendo em situações diferentes: Sansa está sendo constantemente torturada por Joffrey (esse psicopatinha terrível), enquanto Arya segue pela Estrada do Rei a caminho da Muralha, mas vai passar por várias reviravoltas.

Na corte, a família Lannister vê uma nova ameaça surgir. A legitimidade de Joffrey no trono é contestada por Stannis Baratheon, irmão mais velho do rei morto, e também por Renly Baratheon, o caçula, que contesta até mesmo o direito de Stannis por ser mais velho. A guerra entre o rei que está no trono e os que querem direito a ele, e até mesmo com Robb Stark, que só quer libertar o norte e ter de volta suas irmãs e o corpo do pai, permeia todo o volume. E tem Tyrion, sendo um estrategista fantástico que jamais será reconhecido por tudo o que fez pela Batalha do Água Negra.

Vamos sendo apresentados a outros personagens. Brienne é um deles, e eu sinto muito amor por ela. Mesmo que se atrapalhe bastante em várias situações, ela é uma fofa. Também tem o Pod, que é tão bacana quanto. E Melissandre, que assusta demais. E Selise, tão esquisita, enquanto Shireen é doce demais.

É preciso reconhecer que o senhor George (GRRR) Martin sabe muito bem o que anda fazendo. O que só me dá mais vontade de mergulhar nesse universo :-)



Já lido:
As crônicas de gelo e fogo: Guerra dos tronos

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...