quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Livro: Man Repeller



Conheci o blog Man Repeller, da Leandra Medine, quando eu estava super leitora de blogs de moda. Deve ter sido em 2011. Lia muitos e logo vi uma indicação pro dela, que era divertidiíssimo. Mas fui deixando de lado, afinal comecei a ter muita coisa pra ler e blogs de moda tiram o foco. Tenho um sério problema de foco.

Daí que deixei de ler a Leandra e fiquei um bom tempo sem ter notícias dela, até me deparar com o livro Man repeller, que tinha acabado de ser lançado no Brasil. Anotei na minha lista de leituras pra quando não tivesse absolutamente nada de útil pra fazer e ele lá ficou.

Porém, há promoções da Amazon nessa vida. E em uma delas me deparo com um livro que eu queria muito-muito-muito a um preço sem noção de tão barato. Comprei. E, pra completar o frete grátis, fui colocando outros livros no carrinho até faltarem exatamente 9 dilmas. Voltei pra lista de ofertas e lá estava, piscando e sorrindo, o Man repeller, por exatos R$9. Que mal teria, certo? Ele entrou pra lista, chegou em casa e foi pra pilha de livros a serem lidos um dia, quando eu estivesse sem nada de útil pra fazer.

Infelizmente esse dia não chegou. Mas chegou o dia em que fiquei de saco cheio da pesquisa do mestrado e precisava desesperadamente de alguma coisa leve pra ler. Os outros livros que vieram no mesmo pacote eram mais densos, e não caberiam na leitura rápida que eu precisava pra "desintoxicar". Sendo assim... Man repeller veio pra minha mão.

Leandra escreve de um jeito muito divertido, como faz no blog. Ela desconstrói estereótipos da moda e investe em histórias mais palpáveis, mais próximas do dia a dia de pessoas normais. Obviamente não dá pra comparar a nossa vida tupiniquim com a de uma moradora de Nova York (e ler este  livro me deu muita saudade de lá...). Mesmo assim, é mais fácil ver a Leandra gente-como-a-gente do que a blogueira influente dona de um dos 25 melhores blogs do mundo, como elegeu a revista Time.

Cada capítulo conta a história de uma peça de roupa ou acessório e algum aspecto da vida de Leandra: o primeiro beijo, a fase gordinha na adolescência, a primeira vez, as idas e vindas de um namoro, o primeiro estágio, o intercâmbio na França. E, claro, o dia em que se percebeu como uma repelente de homens, enquanto experimentava um short saruel numa loja.

Foi uma leitura rápida (de um dia pro outro, terminei o livro) e divertida (as histórias são engraçadas e a escrita, mesmo que seja confusa às vezes, também arranca umas risadas). Ou seja, coube perfeitamente na minha necessidade do momento.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...