sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Portugal - Planejamento

O planejamento da viagem que fizemos pra NY foi perfeito. Ou melhor, foi tão perfeito quanto um planejamento deve ser: foi um guia muito útil pra gente se virar por lá. Fizemos o que queríamos, mudamos coisas de lugar, deixamos outras de lado. Achei que repetiria o modelo na viagem pra Portugal. Ledo engano: entre um bom plano e eu estava essa coisa linda chamada mestrado. Não rolou de pesquisar a fundo, como fiz da outra vez. Mas deu pra ver o mínimo de informações, pra gente não se perder.

O Zélio, esse amigo querido, me emprestou o guia dele, da Lonely Planet. Custei a abrir o guia - foi só na véspera da viagem mesmo. Leo deu uma pesquisada e a Lu, também atolada com o mestrado, pesquisou pouco. Arrumei um caderninho de notas e coloquei neles os dados principais de nossos voos, hospedagens, caminhos e locais que queríamos visitar. Também o telefone do meu amigo Emanuel, a loja pra comprar o chip de celular local, as informações mais básicas de transporte e o restaurante onde fizemos reserva para nossa primeira noite na Europa.

No Café Majestic

Pelo AirBnb, arrumamos a hospedagem. Por questões logísticas, tínhamos decidido por três noites no Porto e três em Coimbra. Mas depois de tudo comprado, tivemos que mudar de tática: três noites no Porto, duas em Coimbra e uma novamente no Porto. Os apartamentos que escolhemos foram muito legais, cada um com sua particularidade:

Porto 1: apartamento da Paula, da Martha e da Raquel
Fica na rua do Almada, paralela à av. dos Aliados. Bem no centro histórico do Porto, perto de tudo. A escolha foi da Lu, e ela acertou em cheio. O único inconveniente do apartamento é que ele fica no quarto andar e não há elevador. Subir com as malas foi cansativo, mas não tira o mérito do local. São dois quartos, um deles de casal e com banheiro e chuveiro. O outro banheiro era mais um lavabo. Além disso, tem uma sala muito aconchegante, uma cozinha bonitinha e um terraço que nos proporcionou vistas deslumbrantes, seja de noite ou de dia. A noite da revoada das gaivotas foi maravilhosa! A grande revoada aconteceu enquanto olhávamos feito bobos pro céu. Até que lembramos de gravar, mas o que teve depois foi bem menor.

Foto: Leo Homssi (e o santo disparador da câmera)
Ai atrás está a Torre dos Clérigos, a um quarteirão do apê

Coimbra: Casa da Carqueija, da Isabel e do Nuno
A casa fica num dos bequinho próximo à Sé Velha de Coimbra, bem no miolinho histórico. Recebe até seis pessoas, com muito conforto. A Isabel e o Nuno moram no andar da rua - ou ao rés do chão, como dizem os portugueses. Eles alugam o primeiro e o segundo andares. No andar de cima havia uma turma de espanhóis muito festeiros. Não nos encontramos, só ouvimos a festa que eles fizeram. E não, não foi ruim. Coimbra me lembrou Ouro Preto demais - quase como um mundo bizarro. Mas falo sobre isso depois. Esse apartamento tinha muita cara de casa. Foi muito gostoso ficar por lá.

A vista da janela da sala da Casa da Carqueija, com o Mondego logo ali

Porto 2 - Loft da Maria João
A volta ao Porto não fazia parte da programação original, então não conseguimos ficar no mesmo apartamento do início. Pesquisamos a mesma região (Aliados, muito amor!) e encontramos o loft da Maria João. Olha, que projeto arquitetônico phoda! São 60 metros quadrados de muita sofisticação. A solução para o espaço foi perfeita. O local facilitou a nossa ida para a estação de São Bento, para ir pro aeroporto. Foi tudo lindo!

Foto: Leo Homssi

Para as viagens Porto - Coimbra - Porto, olhamos várias formas. Pela RailEurope, por uma empresa de ônibus, por empresas de trens que fazem pequenos percursos. O que nos salvou foi a Comboios de Portugal. O fato de Coimbra e do Porto terem duas estações gerou alguma confusão, mas nos dois casos, tudo certo, sem neuras.

De Coimbra, voltando pro Porto

Dentro do Porto, nos movimentamos com o metro - compramos o cartão Andante ainda no aeroporto e vivemos felizes, pra cima e pra baixo. A verdade é que andamos muito à pé. O metro foi só pros lugares mais longe, como aeroporto e estação de trem. Em Coimbra, também caminhamos bastante, mas utilizamos táxis em alguns momentos.

Em dois locais que queríamos comer, fizemos reserva. O primeiro foi o 17º, restaurante mara, indicação do Zélio. Lá só se janta com reserva. E como nossa primeira noite no Porto era o aniversário da Luana, decidimos comemorar em grande estilo. Foi lindo. Conto mais depois.

O outro foi o Mondego Irish Pub, em Coimbra. Leo conversou bastante com o pessoal de lá e fomos passar nossa segunda noite, pós congresso, nesse bar.

De resto, fomos descobrindo lugares e foi muito legal. Vou contando por dias.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...