quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Livro: Ecología de los medios



Lido pelo iBooks, em módulo horizontal. Foi o livro que eu apresentei no grupo de pesquisa. E foi uma pedreira! Não pelo conteúdo, que é ótimo, mas pelo tamanho. 536 páginas, lidas em duas semanas.

O livro é organizado pelo Carlos Scolari e apresenta uma série de artigos e textos sobre a ecologia dos meios, uma perspectiva da comunicação que é bastante interessante, porque considera o campo como um mundo ecológico, em que os agentes se adaptam - ou não - em busca de sobrevivência. São três partes, uma com textos dos fundadores da perspectiva; outra com os seguidores; e a terceira com pesquisas atuais.

Dos capítulos, apenas dois eu acho dispensáveis, e ambos falam sobre educação. São visões bem pontuais, que não acrescentam muito ao caminho da ecologia dos meios. Os que eu mais gostei foram o do Paul Levinson e o da entrevista do McLuhan para a Playboy. Falem o que quiserem de McLuhan, mas levem em consideração que sua forma de ver o mundo fez muita diferença. Ok que ele precise ser revisto. Ok também que ele era fera.

Scolari fala, na apresentação, sobre as críticas que a ecologia dos meios recebe. A principal é a falta de uma metodologia definida. Quase tudo cabe na ecologia dos meios. Falta também definir o campo de estudo. Mas essas faltas não diminuem a importância dessa abordagem, em especial nos dias atuais, quando vemos tantas mudanças no universo midiático.

Foi uma ótima experiência ler este livro. Aprendi bastante, escrevi bastante, falei bastante sobre ele. Apresentá-lo no grupo de pesquisa também foi uma experiência bem interessante.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...