sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Pílulas do momento #15

Especial "Mestrado", essa aventura louca que tomou conta da minha vida.

1 - Marca-textos
Dia desses notei que a minha caneta marca-textos da mesa de estudos estava ficando fraca. Ela foi direto pro lixo, e fui pegar a que fica na bolsa. Fraca também. Apelei pra da mesa do computador. Mais que morta. Direto pro lixo também. Me virei com uma em formato de estrela ninja e cinco cores, que veio de brinde junto com um livro - é, teve disso. Ok, resolveu o problema imediato, mas é um terror pra usar.
Primeira parada, assim que a noite virou dia e o comércio abriu: papelaria, pra renovar o estoque de canetas marca-texto. Uma em cada canto dessa casa e duas na bolsa.
A marca-texto acabou de entrar pra minha lista de itens é-melhor-sobrar-do-que-faltar. Junto com papel higiênico e sabonete :-)

2 - Olheiras
No post sobre os seis meses de mestrado falei que agora tenho 50 tons de olheiras. E o fato é que ando assustada com as múltiplas cores que estão brincando com a região dos meus olhos. Tantas cores e tão diferentes que fui ~obrigada~ a comprar um cosmético, ou seja lá o que isso for, para melhorar as olheiras e preveni-las.
Melhorou? Nada! Deu um alívio singelo, tão bobinho que só sendo muito legal dá pra dizer que houve diferença.
Em resumo, agora é tentar conviver com essa novidade sem pirar. Até porque já tem coisa demais pra pirar.

3 - Primeira crise
Também no post sobre o seis meses, falei que agora ia fazer estágio de docência e que, se pudesse, faria de duas disciplinas. Acabei falando com o orientador e ele topou que eu ajudasse também na eletiva que ele oferece. Daí marcamos uma reunião para falar do programa das disciplinas e falamos sobre tantas coisas além... do projeto de pesquisa, da pesquisa, da metodologia, de outros livros (ele me entregou dois para ler mais pra frente e pediu a leitura de mais dois para a semana seguinte), de artigos, de publicação, de escrita de livros.
Foi tanta informação, que quase comecei a chorar ali mesmo, na frente dele.
Segurei o desespero, mas falei que sairia dali, no fim da reunião, e iria chorar.
Ele foi muito bacana comigo. Muito mesmo. Disse que eu não devia me preocupar, que tudo vai dar certo. Acabei não chorando, mas continuo preocupada, com medo de não dar conta. É coisa demais ao mesmo tempo.
Sim, eu estou amando essa vida de estudar demais. Sim, é tudo o que eu queria. Sim, o prazo está me assustando um pouco.
É a primeira crise. Dizem que outras virão.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...