segunda-feira, 19 de outubro de 2015

O que (eu acho que) tem de bom pra ler na net #88

1 - Cada um tem a Disney que merece (e viva o Chile!)
Texto de Alexandre Rossi no blog do André Barcinski, sobre a Dismaland, a obra do Banksy. Foi a melhor descrição da obra que vi até agora. Não por ser fiel - não tenho como medir isso -, mas por tocar em algo que é bem caro pra mim: a capacidade que as obras de arte têm de nos tirar do ligar comum. O Chile aí no título é porque o texto foi publicado depois que o Brasil perdeu para o Chile no primeiro jogo das eliminatórias da Copa.

2 - Não tenha medo de usar as palavras certas: machista, racista, homofóbico...
Do Sakamoto. O texto fala sobre o poder das palavras. E que a cultura corporativa, para tentar amenizar situações cruéis, usa palavras mais leves que nem sempre são compreendias e, na maioria das vezes, não são adequadas. Às vezes é melhor usar as palavras certas. Mesmo que doa.

3 - Se você é contra o aborto, não aborte!
Da Elisangela Dalmazo para o Blogueiras Feministas. É preciso falar sobre isso. Mais ainda, é preciso não estabelecer regras para um corpo que não é o seu, para uma história que não é a sua.

4 - Empatia: nunca vi, nem comi, só ouço falar
O blog da Lígia é muito bacana. Nunca é perda de tempo ler os posts dela. Ela começa com a empatia e passa para o compartilhamento de uma maneira tão suave... E compartilhamento é uma das coisas que estou pesquisando no mestrado. Então, mais um motivo pra gostar do texto. :-)

5 - Odiar os quadros de Renoir, a última tendência no mundo da arte
Texto publicado no Defender que, sério, me deu uma crise de risos. Tem muita gente louca no mundo. Tem muita gente à toa também.

6 - Coronel Ustra e outros carniceiros de gente que morreram felizes por aqui
Do Sakamoto. E uso uma parte do texto pra justificar a escolha: "Não quero fazer Justiça por minhas mãos. Quero apenas que a nossa justiça funcione. Ou, no mínimo, que a nossa sociedade consiga saldar as contas com seu passado".

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...