sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Cuca

Foto: Leo Homssi

Hoje faz 14 anos que a Cuca veio morar comigo.

Outro dia, a Anamyself estava falando sobre a cachorrinha dela, que foi sacrificada aos 18 anos. A foto dela levando a mocinha para o veterinário me doeu, muito. Inevitável pensar na Cuca.

Das minhas três idosinhas, era ela quem eu achava que ia embora primeiro. Ficava pensando em como fazer para vovó não sentir muito a falta dela. Mas aí veio a roda-viva do destino jogando a gente pra lá e foi a vez de pensar em como fazer a Cuca superar a falta da vovó. Ela passou alguns meses bem deprimida. Tivemos que esquematizar uma força-tarefa aqui em casa pra ver se ela melhorava. Hoje, nove meses depois da ida da vovó pro hospital, o humor da Cuca voltou ao normal.

Mas, como toda idosinha, ela está cheia de probleminhas. Não enxerga mais direito, o faro não é mais 100%, os ouvidos perderam a capacidade de ouvir até uma formiguinha passeando lá longe. A coluna já está bem ruinzinha - há tempos, compramos uma escadinha de material ideal para cachorros, pra ela subir na nossa cama. E tem as verrugas... a pele mais velhinha, surgiram verrugas pelo corpo todo.

Foi uma verruga que fez ela ter de usar esse capacete aí da foto. Incomodada, ela mordeu tanto a verruga, na perna, que acabou se machucando. A proteção durou duas semanas e ajudou bastente no tratamento. Por outro lado, levou a alguns cuidados especiais - ela não conseguia mais subir na escadinha e precisava ser colocada na cama a toda hora, incluindo madrugadas; precisamos mudar o potinho de ração para um prato, para que ela conseguisse comer. A água não precisou ser mudada, mas ela teve de se adaptar para beber. Passou duas semanas batendo em tudo o que via pela frente, tomando mil sustos quando batia, e sem ouvir direito de onde vinham os chamados. Ficou bem confusa e irritada.

Agora, já voltou às boas, sem a proteção e bastante livre pra ir onde quiser. :-)

Continua manhosa! 

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...