quarta-feira, 1 de abril de 2015

Livro: O bicho-da-seda



O segundo livro do Robert Galbraith, pseudônimo de J. K. Rowling, chegou e logo fui atrás de adquirir o meu. Gostei demais da primeira aventura de Cormoran Strike, O chamado do Cuco, que li em janeiro de 2014.

Após o primeiro caso bombástico, em que Strike e sua assistente Robin elucidaram o assassinato da modelo Lula Landry, o escritório de Strike está lotado de casos, a maior parte deles de pessoas procurando amantes de seus companheiros ou corrupção. É quando Strike recebe a visita de uma senhora meio maluca, Leonora Quine, desesperada porque seu marido, o escritor Owen Quine, estava desaparecido há duas semanas. Ela acredita, piamente, que Cormoran vai encontrar o marido. Owen é um escritor odiado no meio literário e que é dado a desaparecimentos, sempre que é contrariado. Mas é a primeira vez que some por tanto tempo, e Leonora está sozinha para lidar com Orlando, a filha deficiente do casal, que demanda atenção o tempo todo.

Leonora não fala quando ou como vai pagar o trabalho de Cormoran, mas mesmo assim ele pega o trabalho e começa a investigar o desaparecimento. Owen estava para lançar um livro novo que é considerado bizarro demais, que mexe com os brios de muitas pessoas no meio literário e levanta muitas coisas do passado que foram deixadas de lado, mas que ainda suscitam dores e horrores. Leonora tem certeza de que Owen está escondido em algum hotel. Strike não tem tanta certeza. Até que encontra o corpo do escritor, assassinado de uma forma muito violenta. Quem matou o escritor que ousou levantar problemas do passasdo de tantos outros autores?

Strike continua às voltas com sua ex-noiva de personalidade abusiva, além das dores da perna amputada e os eternos problemas de dinheiro. Robin está às voltas com o noivo ciumento (e, eu acho, abusivo e vaidoso em excesso), enquanto tenta mostrar a Strike que quer muito ser detetive. Os dois precisam encontrar o meio termo no caminho de sua relação para conseguir solucionar o caso.

Sim, gostei demais. Gosto muito de livros de suspense e adoro o jeito da J. K. Rowling escrever. Fiquei igual besta tentando descobrir o fim do livro (minha teoria era de que Owen tinha forjado a própria morte, que o corpo não era dele), e foi tudo errado. O final é muito bacana, e abre para uma próxima aventura de Strike e de Robin. A tensão entre os dois aumenta e fiquei na torcida pra Robin dar um pé-na-bunda do Matthew, mesmo que não surja um romance entre ela e Strike. O Matthew é um babaca.

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...