quinta-feira, 17 de abril de 2014

E o Gabo se foi...

Hoje o Gabriel García Márquez morreu.

E eu fiquei triste como se fosse alguém que eu conheço. Isso porque eu só li um de seus livros, o Cem anos de solidãoeste ano.

E assim que soube da morte dele, li dois textos. Um do pai da Anamyself, sobre uma viagem que fez à Colômbia, quando visitou lugares que inspiraram personagens, cenários e livros do autor. O texto original está aqui e merece ser lido.

O outro foi relido. É o discurso do Gabo quando ganhou o Novel de Literatura, em 1982. Esse texto abre a minha edição de Cem anos de solidão e é tão profundo, tão bonito, que não é só pela morte do autor que merece ser lido. É justamente por ser um texto de impacto profundo, necessário para nós que somos latinos. Pode ser lido aqui, em espanhol, mas tem também uma versão em inglês.

Vou sentir saudades [mesmo que seja estranho sentir saudades de alguém que a gente só lê].
Mas ainda bem que os livros dele ficam :-)
_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...