quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Os sete pecados capitais da leitura

Olha, vi essa tag em vários canais literários que tenho seguido por aí. Não sei nem mais dizer em qual vi primeiro. Depois vou linkar os principais canais que tenho seguindo e que estou curtindo.

A proposta é responder a sete perguntas sobre livros. Vamos a elas:

1 - Ganância: qual o seu livro mais caro? E o menos caro?
O mais caro é O Aleijadinho, organizado por Márcio Jardim e outros dois autores. É uma compilação das obras reconhecidas e das atribuídas ao mestre do Barroco mineiro. Não lembro exatamente quanto paguei nele, mas foi mais de cem reais e foi há alguns anos.
O mais barato foi The best in the jungle, do Henry James, numa edição lindíssima da CosacNaify. Estava numa espécie de saldão na Fnac do BH Shopping e custou dois reais. Isso mesmo, um dos livros mais lindos que eu tenho, de um dos mestres da literatura universal, de uma editora reconhecida pelo capricho de suas edições. Dois reais...

2 - Ira: com qual autor você tem uma relação de amor/ódio?
Essa é muito fácil. Umberto Eco é o cara. Eu amo o trabalho dele, admiro demais como pensador, filósofo, linguista, comunicador. E adoro o trabalho dele como romancista. Mas... nos romances, sempre fico com preguiça da erudição que ele sempre "vomita" nas obras. Pô, cara, todo mundo sabe que você é muito erudito (e eu te admiro demais por isso), mas lugar de erudição é nos livros técnicos, nas obras de reflexão, não na literatura. Em todos os romances dele, lá pelo meio do livro eu quero jogar o volume na parede, de tanta raiva. Mas aí insisto, chego no final e me apaixono de novo pelo Eco.

3 - Gula: que livro você devorou sem vergonha alguma?
Eu devoro vários. E em geral não tenho vergonha disso. Eu tive vergonha de devorar a Trilogia 50 Tons. Vergonha por ter lido, por E. L. James ter escrito, pela editora ter publicado e pelas pessoas que se apaixonaram pelo personagem de Christian Gray, o cara mais machista e imbecil do romance atual.
Talvez seja a série Harry Potter, porque comecei a ler quando eu já estava formada, no meu segundo emprego como jornalista. E uma das minhas colegas de trabalho me criticou muito por ler esses "livros infantis, nessa idade". E eu li todos e amei, sem vergonha nenhuma de já ser adulta lendo os mesmos livros que garotos de 10 anos estavam devorando no momento.

4 - Preguiça: qual livro você tem negligenciado devido à preguiça?
Atualmente é o Zen e a arte da manutenção de motocicletas. Li esse livro antes de ler Harry Potter, há alguns anos. E gostei, mas não achei sensacional. Daí, quando voltei pra faculdade e escolhi cursar Filosofia, decidi voltar a ele. Eu gosto da história, do cara que viaja com o filho numa moto, acompanhado por um casal de amigos em outra moto, por estradas vicinais dos Estados Unidos, falando sobre motos e filosofia, juntando Hegel com carburadores. Mas comecei a ler e fui deixando de lado, para investir em outras leituras.

5 - Orgulho: qual livro tem mais orgulho de ter lido?
Não sei. Acho que a gente lê o que faz bem pra gente. E não acredito que ler alguma coisa seja motivo de orgulho. Escolho meus livros pelo estilo que me faz bem. Quando pego algo que não combina comigo, não me forço a terminar (mas em geral termino, pela curiosidade). E por isso, evito os estilos de livro que não curto, como auto-ajuda e chick-lit.
Ainda nesse mesmo pensamento, talvez eu possa encaixar aqui Os delírios de consumo de Becky Bloom, porque foi quase um suplício terminar de ler. E porque, talvez, o sentimento que eu tive ao fechar o livro possa ser comparado ao orgulho por ter vencido um livro tão ruim. Mas acho que o sentimento tá mais pra alívio.

6 - Luxúria: quais atributos você acha mais atraentes em personagens masculinos e femininos?
No geral, eu gosto de personagens que transgridam. Que tenham algum tipo de rebeldia. Que saibam fazer diferença sem serem quadrados.
Um exemplo é o Lorde Henry de O retrato de Dorian Gray, que é sarcástico, divertido, transgressor e sempre fala alguma coisa que me leva a pensar. Curto muito as passagens dele no livro.
Outro é Lisbeth Salander, da Trilogia Millenium (aqui, aqui e aqui).
Por outro lado, também sou apaixonada pelo Mr. Darcy, de Orgulho e Preconceito. Talvez porque ele não é um mocinho convencional e quadradinho, desses romances mais comuns, mas é autêntico, tem um bom toque de sarcasmo e de romantismo ao mesmo tempo.

7 - Inveja: que livros você gostaria de receber de presente?
Fica chato se a resposta for "todos"? Hehehe.
Na verdade, eu adoro ganhar livros. Seja um que eu não conheça, ou que já ouvi falar, que desejo, que já tenha, que tenha odiado. Gosto porque vejo que o "presenteador" me conhece um pouquinho. Gosto porque sempre tem lugar pra mais um livro (mesmo que não haja mais estantes disponíveis. Gosto porque antes um livro que eu possa ler, viajar, me divertir do que um perfume, que me provoca alergia, flores, que vão morrer, bombons, que vão acabar (e me fazer ter remorso depois), roupas, que são tão impessoais.
Nada melhor que livros. Se bem que também amo ganhar puzzles. :-)


_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...