domingo, 8 de setembro de 2013

Citações 38

Do conto O marinheiro, em Triângulo das águas, de Caio Fernando Abreu:

Não sei quem são os vizinhos. Vejo alguns rapazes, algumas moças, mas tantos e sempre tão diferentes - na verdade não sei se diferentes ou os mesmos, apenas não presto muita atenção neles cada vez que os vejo, porque não me interessam. Como supunha que eu não interessaria a eles. As cidades grandes como esta têm dessas coisas - você não precisa simular interesse algum pelas pessoas em volta, elas não exigem mais que um bom-dia, boa-tarde, boa-noite, às vezes nem isso, silêncio nas horas em que se costuma fazer silêncio, ruídos nas horas em que usualmente se faz ruído. Não faço ruídos nem mesmo nessas horas, eliminei máquinas, televisões, rádios, embora goste de música. Mas quando quero ouvi-la, conto para mim mesmo quase sem voz um som irregular, cheio de altos e baixos, que vem do fundo da garganta, sem palavras. Talvez seja essa ausência de ruídos que os interessa, os vizinhos, ou quem sabe os intriga a muralha de vidros coloridos interposta entre o de-dentro de minha casa e o de-fora dela, não sei.