quinta-feira, 11 de julho de 2013

O que (eu acho que) tem de bom pra ler na net #9

1 - Depois de ler, doe
Gosto muito desse site, Livros só mudam pessoas. É um dos primeiros que busco no Reader. Neste link, uma ONG australiana, em parceria com uma editora, criou um projeto em que a sobrecapa de um livro se transforma num envelope. Aí, depois de lido, ele pode ser doado para uma instituição via correio. É uma ideia muito bacana. Eu costumo doar meus livros, em especial depois que parei de reler para poder conhecer mais livros novos. Já fiz boockcrossing, já participei do Trocando Livros, já doei pra bibliotecas públicas e comunitárias. E acho uma delícia quando o livro sai da minha estante e vai em direção a pessoas que vão lê-los.

2 - Jornalismo caboclo
O Duda Rangel sempre sai com umas coisas divertidas ou bem reflexivas sobre o jornalismo e os jornalistas. Agora foi essa versão de Faroeste Caboclo. Tem poucas coisas que eu não concordo. E não deixa de ser um motivo pra se pensar.

3 - Depressão
Porque é leve, mas faz pensar. Porque é divertido, mas com uma ponta de seriedade. Aqui o Carlos Ruas fala sobre depressão, de uma maneira sutil, mas profunda.
Um sábado qualquer está entre as coisas mais legais da internet. Mesmo que os religiosos de plantão achem uma blasfêmia e tal. E tem gente, pasmem, que ameaça o Ruas...

4 - Um parto humanizado
Olha, eu me assustei demais com esse post da Luiza Diener. Ela tem um blog muito bacana, o Potencial Gestante, e estava grávida do segundo bebê. Decidiu fazer o parto em casa, sem anestesia, sem médicos. Aqui ela conta como foi o dia em que a Constança nasceu. E olha que ela não quis saber o sexo do bebê, só descobriu no nascimento. Corajosa, né? Mesmo assustando um cadinho, é um relato lindo. E eu acredito que tem gente que nasce pra ser mãe (e pai) e tem gente que veio sem o software instalado

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...