quinta-feira, 11 de abril de 2013

O tombo

Tomei um mega tombo na rua. Tudo começou quando eu resolvi sair do Encontro de Filosofia de que participava para ir trabalhar. Se eu tivesse ficado por lá até o final, teria ido direto pra casa e não teria tombo. Mas fui trabalhar e, pra chegar, tive de descer uma ladeira que já é escorregadia em si. Imagina num dia de "chuva fina no meu parabrisa"... Pé esquerdo escorregou e seria uma abertura total de balé se eu ainda tivesse essa mobilidade. Resultado: bunda no chão, com grande impacto do lado esquerdo; joelho direito batendo com força nas pedras do calçamento, pé direito torcido. No joelho, até veia estourou.

Por um lado, estar sozinha na rua é bom: ninguém viu o tombo. Por outro, ninguém pra me ajudar a levantar e terminar de descer. É que eu dei a "sorte" de cair bem no meio da ladeira. Aí liguei pro Leo vir me buscar. Ele já apontou lá embaixo rindo. Mas como é um fofo, me ajudou direitinho e cheguei inteira no trabalho. Enquanto colocava gelo pra desinchar e começava a dar andamento no trabalho. Leo sentou no lugar dele e também deu segmento ao trabalho.

Pouco tempo depois, ele me chama: "Pé, te zoei no Facebook". Fui ver e era isso aqui:



Gracinha ele, não? Em vez de trabalhar, criou essa coisinha linda aí!