quarta-feira, 20 de março de 2013

Pílulas do momento # 5

1 - Foi aniversário do Paulo no dia 9. Como sempre, Tia Ylza botou a mão na massa e fez um dos meus doces preferidos, a Montanha Uruguaiana. Obviamente, foi a festa da engorda aqui em casa. Paulo e eu ficamos disputando quem conseguia mais creme amarelo (que é o melhor desse doce).


2 - Leo e eu resolvemos ver Lost de novo. Estamos há um bom tempo com todas as temporadas, assistindo toda noite. É impressionante como Lost é bom, especialmente as três primeiras temporadas. Revivi meus amores por alguns personagens e por grandes momentos do seriado. Pena que acabou...
Pra mim, o Ben é o melhor de todos. O ator arrasa e o personagem é muito complexo. Quando ele aparece na trama, no meio da segunda temporada, ferido, apanhando horrores, ainda consegue mentir com a maior cara séria. É um personagem memorável. Morro de saudade de ver Lost toda segunda-feira... até vovó via comigo e com o Leo pela TV a cabo. Está sendo uma delícia!

3 - Grandes dúvidas na hora de escolher o próximo livro de literatura. Estou entre três opções:
- Berlim Alexanderplatz;
- Morte Súbita;
- O cemitério de Praga.
Alguém me ajuda a escolher?

4 - Comecei o quebra-cabeça que ganhei da Jullyanne de amigo oculto. É o primeiro de 1.500 peças que faço e estou apanhando bem. Primeiro porque a mesa onde faço é menor que ele. Então, estou usando a mesa de jantar. O que dificulta bem a vida, já que não posso ficar com o QC nela o tempo todo. E 500 peças a mais é coisa pra caramba! o QC é lindo de viver, vai dar um quadro mara! Mas vai demorar um montão a ficar pronto.

5 - Não nasci pra falar em público. Comprovei isso ao apresentar um seminário de Antropologia Filosófica. Falei baixo, gaguejei, fiquei vermelha, suei horrores, quis morrer. Sorte que o colega que apresentou comigo fala bem pra caramba! E sorte que me saí bem na primeira prova. Porque se depender de nota de seminário, to-fu! Ainda tem outra prova, no começo de abril. E depois disso, se eu não pegar final, tem férias, o que é ótimo, porque tenho que estudar lógica.