segunda-feira, 18 de março de 2013

Filme: O lado bom da vida

Silves Lining Playbook - 2012 (mais informações aqui)
Direção: David O. Russell
Roteiro: David O. Russell, baseado no livro de Mathew Quick
Elenco: Jennifer Lawrence, Bradley Cooper, Robert De Niro, Jacki Weaver, Chris Tucker

Não dei muita bola pro filme quando foi lançado porque tenho preguiça de comédia romântica. Porém, li em algum lugar que os personagens principais tinham transtorno bipolar e isso foi o suficiente pra me motivar. Como a Laura tem transtorno bipolar, procuro ler e ver tudo sobre o assunto, desde que não seja científico (pra não pirar). E lá fui pro cinema, na terça de carnaval, passando um mal do caramba.

Essa é a história de Pat Peoples (Bradley Cooper), que acaba de ser retirado de um hospital psiquiátrico pela mãe. Ele teve um surto ao pegar sua esposa com outro homem, mas parece ter esquecido a traição e, ainda, o tempo que passou hospitalizado. Seu objetivo é emagrecer o mais rápido possível, fazendo muitos exercícios físicos e correndo pelas ruas do bairro vestido com um saco de lixo (para suar mais), porque sua mulher, Nikki, gostaria de vê-lo mais rápido. Ele também quer mudar seu temperamento para ela e, assim, terminar o que ele chama de "tempo separados".

A família, Dolores (Jacki Weaver) e Sr. Pat (Robert De Niro) tentam fazer com que Pat esqueça Nikki e leve uma vida normal. Randy, amigo de Pat, insiste em voltar a conviver com ele e, para fazê-lo esquecer a ex-mulher, apresenta Tiffany (Jennifer Lawrence), irmã de sua esposa Veronica. Tiffany está depressiva porque ficou viúva. A relação de Pat e Tiffany é construída ao longo da trama, com Pat ajudando Tiffany a participar de um concurso de danças e Tiffany auxiliando Pat a entrar em contato com Nikki para mostrar que está recuperado e é um novo homem.

Ainda entram em cena a obsessão do Sr. Pat por futebol americano - se os Eagles venceram o jogo passado, tudo tem que estar exatamente do mesmo jeito no próximo jogo; Danny (Chris Tucker), amigo de Pat no hospital; e um amigo do Sr. Pat que coloca tudo de cabeça pra baixo ao propor uma aposta.

O filme é bonitinho e bem leve, mesmo tratando de um tema tão pesado, como os transtornos mentais. Foi bom pra mim ver as alucinações de Pat e pensar que a Laura deve funcionar do mesmo jeito. Ver como ele se esforçava para manter-se na realidade e até a rebeldia com os remédios me fez ver muitas coisas de outro modo.

Os atores principais estão todos muito bom, com destaque pro De Niro e pra Jackie Weaver. Bradley Cooper mostra que pode não ser só um rostinho (muito) bonito. Jennifer Lawrence é muito boa, mas não merecia o Oscar de melhor atriz por esse papel. Emmanuelle Riva, de Amor, é infinitamente melhor.