quinta-feira, 14 de março de 2013

Filme: Intocáveis

Intouchabels - 2011 (mais informações aqui)
Direção: Olivier Nakache, Eric Toledano
Roteiro: olivier Nakache, Eric Toledano
Elenco: François Cluzet, Omar Sy, Anne Le Ny

Esse filme, baseado em uma história real, ficou um bom tempo em cartaz em Belo Horizonte, no Belas Artes, cinema perto da Praça da Liberdade que sempre traz filmes fora do circuito comercial. Não consegui ver lá e nem quando, depois de um longo e tenebroso inverno, o filme veio para Ouro Preto. Aluguei outro dia e não me arrependi. O filme é uma graça.

Driss é um senegalês que vive na França e está em situação de risco social. Ele passou seis meses preso sem se comunicar com a tia e com os primos e está atrás de uma assinatura num pedido de emprego, apenas para provar que foi procurar trabalho e não encontrou, e assim continuar recebendo o seguro-desemprego. A entrevista em que ele, impacientemente, espera sua vez, é para um cuidados para Philippe, tetraplégico após um acidente de parapente. Philippe é bem humorado e está cansado de ser tratado como um inútil. Por isso escolhe Driss para ser seu cuidador. Em uma cena, ele explica o motivo para um amigo: Driss chega a passar o telefone para Philippe, justamente porque esquece que o patrão não tem a mobilidade dos membros superiores. O cuidador é capaz de tratar Philippe como um ser humano qualquer, sem limitações e, por isso, sem cuidados excessivos.

É interessante notar como é importante tratar o outro com o devido respeito, levando-se em consideração que, no fundo, os diferentes querem ser semelhantes, não querem um olhar de desprezo ou de piedade. E que, no filme, isso é uma via de mão dupla. Driss muda a vida de Philippe depois que aprende alguns dos cuidados básicos para esse tipo de situação. Philippe muda a vida de Driss ao inseri-lo em seu mundo, olhando para ele com o mesmo respeito com que gosta de ser olhado, sem preconceitos pela cor ou pela situação social do cuidador.

Tirando todas as situações cômicas, que fazem a história ficar mais leve, é possível aprender bastante com Intocáveis. Não que o lado divertido não seja importante. É que ele, por vezes, é usado para mascarar a história real apenas como uma forma de alcançar mais espectadores. De todo modo, é um filme lindo e que vale ser visto.