terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Debaixo da mangueira

O Natal passou, com a família mais legal do mundo, em Piracanjuba (GO). Como sempre, estar com os Borges é um aprendizado constante. Novos conhecimentos agora fazem parte da nossa vida.

Aprendemos que:

- Debaixo da mangueira somos todos necessários.
- Debaixo da mangueira também somos todos alvos das mangas suicidas.
- O Caramelo, de inocente, só tem a cara (e que carinha mais linda!)
- Quando se tem vontade de fazer tatuagem, há um meio de evitá-la. Pergunte ao Telmo!
- Há duas espécies de vizinhos: o que escuta tudo e o que reclama.
- Não é preciso saber pra que lado é a esquerda e pra que lado é a direita. Basta decorar um lado só e ignorar o outro.
- A referência da cerveja na geladeira nunca pode ser só "da esquerda" ou "da direita". Porque vai que tem alguém que não bebe e não entende que a melhor garrafa está sempre no congelador.
- Finalmente, Leo fez 33 anos. E nós já sabíamos: 33 é mais apropriado.
- Um Valdo + um Valdo = Os Valdo.
- Um amigo oculto é alto; o outro está alto.
- Há amigos que não são ocultos!
- Algumas comidas são do Queridinho, outras são Putasso.
- Certos feirantes conhecem há anos o pepino do Queridinho.
- Sempre há espaço pra uvas. Ou para uma parreira.
- Até mesmo o Batmóvel fica na estrada com o motor fundido (ou seria fudido?).
- Nem toda Ambrosia é feita com ovos de Paracatu.
- Algumas impressoras causam muito ciúme.
- No fundo, no fundo, a Lulu gera mais ciúme que o Queridinho.
- A planta do jardim, ao fim de tudo, é igual ao patinho feio: todo mundo achando que era uma coisa, mas era outra. Ufa!
- E tudo-tudo-tudo-tudo em sete vezes... mas é impagável.

A famosa mangueira

Fazendo turismo na pracinha

Caramelo no portão

Caramelo e a carinha de inocente

Os heróis sem carro

Breno de War Machine

Leo de War Machine

O patinho feio

Uvas na parreira
  
Portella Borges (Faltou o Breninho)

A tradicional foto contraste

Melhor Natal, impossível.