quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Citações 23

De Pauline Kael, em Criando Kane:

Há umas poucas exceções, mas em geral se pode dizer que o público não mais descobre filmes, não mais transforma um filme em um sucesso. Se a publicidade não cria nelas o desejo esmagador de ser parte do evento, as pessoas simplesmente não vão ver. Não dão ouvidos aos próprios instintos, nem aos críticos - só dão à publicidade. Ou, para pôr as coisas de forma mais precisa, escutam seus instintos, mas eles agora são controlados pela publicidade. A publicidade impregna tudo - programas de entrevistas, de jogos, matérias de jornais e revistas. Os museus organizam retrospectivas da obras de um diretor para coincidir com o lançamento de seu último filme, e publicam monografias pagas pelas empresas de cinema. Editores universitários viajam às custas da empresa de cinema para ver o último grande filme e conhecer o diretor, e os diretores fazem exibições prévias de seus filmes nas universidades. O evento de relações públicas torna-se parte da consciência nacional. Não se ouve ninguém dizer: 'Eu vi o filme mais maravilhoso que já se ouviu falar'; quando se ouvem as pessoas conversando, é sobre um filme fantástico que todo mundo está indo ver - aquele que inunda os meios de comunicação. Contudo, mesmo os piores cínicos ainda gostam de pensar que o 'boca a boca' é que faz o sucesso.


Ensaio de 1974.