domingo, 5 de agosto de 2012

Filme: Premonições


Premonition – 2007 (mais informações aqui)
Diretor: Mennan Yapo
Roteiro: Bill Kelly
Elenco: Sandra Bullock, Julian McMahon, Amber Valleta

Imagine o que é ter a notícia da morte do marido e, no dia seguinte, ele estar vivo e saltitante? Isso acontece com Linda Hanson, após receber a notícia da morte de seu marido, Jim. No dia seguinte, ele está vivo, em casa, como se nada tivesse acontecido. A cada dia posterior em que acorda, Linda tem que se haver com algumas coisas que fogem de seu controle: os machucados da filha, remédios, psiquiatra e internação, discussões com o marido e uma assistente bonitona.

Imagino que o que Linda passa seja parecido com alguém que surta (como o que aconteceu com a minha irmã). Um dia você acorda e o que você sabe, as certezas que tem, são outras, diferentes da do resto do mundo. Como conviver com essa novidade? Como convencer todo mundo que há algo diferente (e o tão famoso “eu não estou louca!”). Isso acontece com Linda, por exemplo, quando ela exige que abram o caixão de Jim. Como explicar para a família que, um dia depois de morrer, ele estava vivo, dois dias depois estava morto e assim, sucessivamente?

Além dessas reflexões sobre a loucura e/ou psicoses, o filme tem um outro ponto interessante, que é a rotina do casamento. Na primeira cena, vemos Linda e Jim comprando uma casa, que indica, na cultura estadunidense, que o casal pretende ter filhos. Em sequência, Linda já está com as filhas crescidas e assume sua posição de dona de casa. Ela leva as crianças para a escola, lava roupas, arruma a casa, vai ao supermercado, enquanto o marido trabalha para sustentar a casa. A rotina e os filhos acabam fazendo o casamento de Linda e Jim esfriar, mas a moça não consegue perceber, de tão envolvida que está na lida doméstica. Vale uma reflexão: será que todo relacionamento está predestinado a isso? Pelo menos na ficção, é comum ver casais que acabam numa espécie de limbo amoroso.

Sandra Bullock interpreta Linda mas, como sempre, vive com cara de Sandra Bullock. Não importa o que aconteça com a personagem, Linda está sempre com a mesma cara. Ainda bem que há uma mise em scéne, que nos indica o que está acontecendo com ela. Além da falta de habilidade da atriz, fica evidente que falta um pouco de pulso do diretor. Mas nada que não seja esperado, em se tratando de Sandra Bullock.  

Não é lá essas coisas, mas vale num dia daqueles em que não se quer sair de casa e não se tem nada pra fazer.