quinta-feira, 19 de julho de 2012

Livro: Assassinato no Beco

Uma coisa que fica bem clara quando se lê Os Diários Secretos de Agatha Christie é que um de seus métodos de trabalho era testar enredos de livros em contos mais curtos. Desde que li o livro, fico tentando imaginar onde já vi aquele conto sendo mais desenvolvido. Em Assassinato no Beco, temos quatro contos e dois deles, tenho certeza, viraram livros completos.

O primeiro, Assassinato no Beco, é uma história bem interessante sobre um suicídio que mais parece assassinato. O terceiro, O espelho do homem morto, também é uma história de suicídio que mais parece assassinato, mas as duas histórias, mesmo compartilhando alguns detalhes, conseguem ser bem diferentes.

O segundo é O roubo extraordinário, em que papéis secretos são roubados de uma mansão cheia de personagens suspeitos (tenho certeza de que já li o livro com a trama bem parecida, com o Superintendente Battle entre os personagens). A última história é O triângulo de Rodes, que também já vi desenvolvida em outro livro, num cenário bem parecido.

Acredito que O triângulo de Rodes deu origem a Morte na Praia, porque temos os mesmos elementos: uma ilha, um hotel, pessoas de férias, Hercule Poirot e uma beldade que dá em cima de todo mundo. Já O roubo extraordinário me lembrou muito O Segredo de Chimneys, que tem uma história de roubo de documentos e o Superintendente Battle, e os métodos do roubo são bem parecidos. Porém, no livro, há um assassinato, o que não existe no conto.

Enfim, é sempre uma delícia de Agatha, faz o tempo passar rapidinho e distrai a gente daqueles problemas incômodos.