quinta-feira, 26 de julho de 2012

Filme: Os vingadores

The Avengers - 2012 (mais informações aqui)
Direção: Joss Whedon
Roteiro: Joss Whedon, Zak Penn
Elenco: Robert Downey Jr., Chris Evans, Scarlett Johansson, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Jeremy Renner

Vi Os Vingadores duas vezes, em dois contextos diferentes, bastante significativos. Não sou fã de quadrinhos, já disse isso várias vezes. Não tenho conhecimento para julgar se o filme foi bem adaptado ou não. Mas gostei muito do roteiro, das gags, da direção, dos efeitos. E de ver meu herói favorito na tela grande pela primeira vez. É, não vi os outros filmes do Hulk, não me lembro o motivo. Talvez seja porque eu adoro a série que passava na tevê na década de 1980. Lembro de voltar correndo da escola só pra ver o Hulk (e o Sítio do Pica-pau Amarelo, que passava antes ou depois, não tenho certeza).

Como disse no início, vi o filme em dois contextos diferentes. A primeira vez foi logo na estreia, com o cinema cheio de fãs aficcionados pelos heróis. Vários nerds, muito divertidos. Nada passou incólume a eles, e o cinema explodia a cada cena, a cada gag, a cada participação eletrizante de um super herói. O moço que estava do nosso lado na fileira era dos mais empolgados e, juro, era tão divertido vê-lo interagir com o filme quanto ver a película.

Na segunda vez, vi uns bons dias depois, no cinema de Ouro Preto. O cinema daqui, quando está em sua fase comercial, recebe filmes que já saíram de cartaz há um tempinho em BH. Ou seja... não dá pra se manter atualizado com o cinema daqui. Mas como Leo e eu curtimos muito Os Vingadores, fomos lá ver de novo. A plateia interagiu, lógico, mas passou por várias gags sem entender. Sério, nem todo mundo entendia coisas que são óbvias pra quem está perto do mundo nerd ou geek - e olha que eu não sou nem uma coisa nem outra, só convivo com gente que é.

De um jeito ou de outro, o filme é bem divertido. Faz parte daquela parte de obras que são feitas justamente pra isso: divertir (e pra ganhar rios de dinheiro, of course). E eu me diverti muito. Talvez seja por isso que não me liguei tanto em detalhes de produção, de caracterização, de efeitos, de som. Curti muito o conjunto da obra sem parar para apreciar detalhes. Claro, ver o Hulk de novo, ainda mais interpretado pelo Mark Ruffalo (ai, ai...) foi perfeito. Ainda mais na cena em que ele prova que é o melhor dos heróis, pois só ele consegue fazer o vilão Loki perder a pose de semi-deus.