domingo, 15 de abril de 2012

Mônica em cartas #7

Gabriela, prima querida,

pesa-me muito escrever para você neste momento. Estou com o corpo bastante machucado, devido a uma queda bruta da escada do prédio. Minhas costas doem, meu rosto está com alguns arranhões e meu braço direito com uma dor quase insuportável na região do cotovelo. Mesmo assim, não podia deixar de responder tua última carta.

Fico muito feliz que estejas com a leitura adiantada e tendo muitas notas boas na escola. Sei o quanto é recompensador ver esta paga ao fim de tanto esforço. Aproveito para agradecer o lindo convite para que eu passe as férias com você. Infelizmente, não posso dar a você uma resposta agora. Meus pais precisam aprovar essa solicitação e, creio, seria melhor que seus pais falassem diretamente com eles. Você conhece seus tios, eles não estão sempre dispostos a me deixar sair de casa à hora em que eu quero. Isso me traz alguma dor, mas nada que não possa ser contornado. Espero, ansiosamente, que eles aprovem este pedido, e estas, com certeza, serão férias memoráveis.

Espero que, até lá, meu corpo já não esteja marcado ou dolorido. Fui imprudente, querida prima. Deixei meu pai bastante nervoso, ao chegar atrasada da escola. E, ainda no hall do apartamento, enquanto explicava que perdi o horário do ônibus, acabei me desequilibrando, pisando em falso e rolando pelos degraus. Além da bronca pelo atraso, acabei com toda essa dor muscular que, espero, vai passar rapidinho.  Assim, poderemos ter bons momentos juntas.

Com amor,
Mônica