terça-feira, 24 de abril de 2012

Livro: Defesa de Sócrates

Nessa onda de estudar pro futuro mestrado, tenho anotado cada livro que o professor de Estética fala na sala de aula. Como só tive um ano de Filosofia no Ensino Médio e um semestre na faculdade, praticamente não li nada a respeito. A lista dos livros pra ler é muito grande. E a Sulamita, que é professora da Arquitetura na Ufop e também aluna do mestrado, me disse pra aproveitar bastante pra ler esses clássicos da filosofia, para tudo ficar mais fácil se eu passar no dito cujo um dia.

Comecei pela Coleção Os Pensadores, da Abril Cultural. Tenho alguns exemplares em casa. Pulei os pré-socráticos e fui pra Sócrates. Ele não deixou nenhum escrito, seus discípulos que escreveram sobre ele, sendo Platão o mais famoso.

Sócrates foi acusado de corromper a juventude, não acreditar nos deuses e propagar novos deuses. A Defesa de Sócrates é o relato, por Platão, do discurso de Sócrates em sua defesa. É um discurso lindo! Eu sei que ando empolgada com tudo de novo que ando lendo, mas isso não tira a beleza da obra.

Primeiro, Sócrates se defende e refuta as acusações. Para isso, utiliza de sua tática de sempre: interroga um dos acusadores e prova, com isso, não haver sentido na acusação. Mesmo assim, não consegue convencer ouvintes/votantes o suficiente para acontecer sua absolvição. Enquanto discursa, antes e após a sentença, Sócrates fala de humildade,  justiça, verdade e virtude. E deixa uma grande lição. Não é à toa que ele mudou o pensamento ocidental e fundou a filosofia.

No livro da Coleção Os Pensadores ainda tem duas obras de Xenofonte, que também defende Sócrates, e um de Aristófanes, o escritor de comédias, que ridiculariza o filósofo. Assim que finalizar, vou postar aqui. Só digo que estou amando o livro Ditos e Feitos Memoráveis de Sócrates, do Xenofonte.