sábado, 28 de abril de 2012

Desafio Literário - abril: Persuasão

No Natal de 2010, minha sogra me deu um livro muito bacana, da editora Martin Fontes, com obras de Jane Austes. Eu já tinha lido os dois primeiros, Razão e Sensibilidade e Orgulho e Preconceito. Faltava este Persuasão. 


O livro começa meio morno, com a apresentação da família. Elliot. O pai, Sir Elliot, é um meio rico perdulário, cujo único orgulho na vida é aparecer no livro que nomeia a nobreza da época. Ele é viúvo e tem três filhas, Elizabeth, a mais velha e que cuida da casa desde a morte da mãe; Anne, a heroína deste livro, sempre desprezada por todos; e Mary, a caçula, que se casou e mora próximo da propriedade do pai. Sir Elliot está relutante em aceitar a nova condição da família: como gasta mais do que recebe, é aconselhado a sair de sua propriedade e alugá-la para profissionais da marinha, que acabam de voltar vitoriosos e ricos das guerras napoleônicas. Ele e Elizabeth se mudam para o balneário de Bath (onde também se passa o livro A Abadia de Northanger) e Anna, que é considerada um estorvo, é mandada para a casa de Mary.

Lá, Anne descobre que os inquilinos do seu pai são o Sr. e a Sra. Croft. Ela é irmã do Capitão Frederick Wentworth que, há cerca de sete anos, pediu a mão de Anne em casamento. Ela negou, influenciada amiga, Lady Russel, que não via a união com bons olhos porque Wentworth não tinha boa posição social nem fortuna. Apaixonada, Anne nunca se casou e teme o reencontro com o capitão, que não via desde então.

Como um bom romance de Jane Austen, logo a trama engrena e ficamos aflitos vendo o desenrolar das aventuras de Anne, que finge indiferença ao amado, para poder preservá-lo e deixá-lo livre. Tem o cara sem escrúpulos que só está interessado no título de Sir Elliot, tem a questão da herança masculina e das filhas desamparadas, tem a senhora interesseira, tem reviravoltas. E, claro, tem final feliz.

Acabei ficando com vontade de ver de novo o filme Orgulho e Preconceito, com o Mathew Macfadyen (que é um Mr. Darcy maravilhoso). Vi logo depois de terminar de ler Persuasão e foi tãããão lindo... Quero ler o livro de novo, mas pelo andar da carruagem, só daqui a uns anos.