sábado, 18 de fevereiro de 2012

Livro: Encontro com a morte

Eu gostaria muito de completar a minha coleção de livros da Agatha, sério. Ao mesmo tempo, gostaria de não ler com tanta sede os livros da autora. Eu adoro, mas acho muito ruim sempre pegar um livro dela e fazer com que ele fure a fila das minhas outras leituras. Muito feio isso!

Este Encontro com a morte faz parte dos livros que foram inspirados por viagens. O segundo marido da Agatha era arqueólogo, vivia viajando e ela, acompanhando. A trama se passa entre Jerusalém, Petra e Aman. Os cenários, que devem ser maravilhosos, parecem que não inspiraram muito a autora. A trama é bem fraquinha. Ou, talvez, a família principal seja tão antipática que faz com que a história fique ruim. A edição que li, da Círculo do Livro (adoro os livros da Círculo), foi muito mal cuidada. O nome de Mrs. Boynton geralmente aparecia como Mr., prejudicando a leitura. Sem contar os vários errinhos que os editores e revisores deixaram passar. Uma pena... acredito que a Círculo já deveria estar falindo quando houve essa edição.

Mrs. Boynton é uma rígida madrasta americana. Ela comanda a família com mãos de ferro e impede qualquer contato dos enteados e da filha com estranhos. Seu jeito aterroriza não só sua família como também os turistas que estão no mesmo hotel e nos mesmos passeios. Em uma visita a Petra, ela resolve deixar a família livre para um passeio durante a tarde. À noite, é encontrada morta. Todos os enteados e a filha são suspeitos. E Hercule Poirot, que também estava em férias, é convidado a solucionar a morte da matrona antipática.

O livro é bacana, mas parece que a Agatha não estava lá muito inspirada. Fica parecendo que alguém tentou seguir a mesma estrutura dos seus livros, mas errou bastante na composição da trama. Mesmo assim, eu gosto, né?