segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Sobre o réveillon

Desta vez, a festa foi entre os amigos. Tudo combinado via e-mail (confirmações, menu, bebidas e até amigo oculto, pelo site Amigo Secreto). Quem puxou a organização fomos eu e Fabi (e olha que eu odeio organização de eventos...). A decoração (dá pra ver um pouco aqui) foi toda idealizada pelo Leo e pelo Lauro. Os dois, além de fazerem as principais compras (acessórios, velas, tochas, luzes especiais) também ficaram responsáveis pelos balões, muitos balões. Eu comprei os chicotes de prata e metade das pulseiras de neon. O Tales forneceu a maior parte da trilha sonora, que foi completada por mim e pelo Lauro, também com auxílio do Bruno, que deu dicas no ano passado. 

Um mar de balões

As bebidas foram fornecidas pelo Teleboteco. As comidas vieram pelo sistema C.U.L.U.R. (Cada Um Leva Um Rango), no caso, cada casal levou um prato e um petisco. Acho que esse foi o nosso erro, porque teve comida demais, suficiente pra noite toda, pro almoço do dia seguinte (quase todo mundo voltou pra comer) e cada um ainda levou mais bastante comida pra casa. 

acessórios

Leo e eu fizemos nosso tender tradicional, dessa vez com tender de peru. Pra mim, ficou bem melhor do que com o suíno. Leo não viu diferença. E teve pernil, lombinho, arroz com lentilha, salpicão, salada, farofa, queijos, salaminho com azeitonas, homus, quibe cru, berinjelas, frutas e uma torta de chocolate maravilhosa. 

A mensagem que brilhou sob luz negra

Nosso petisco foi um caso à parte. Fizemos o Mix de Nuts com Curry, receita da revista Minha Casa. Já contei que sou um desastre na cozinha? Pois é...

A receita é assim: 
100g de amêndoas
100g de castanha de caju
100g de castanha-do-pará
100g de nozes picadas
200g de amendoim sem pele
200g de passas
1 xícara de azeite
1 xícara de sal gosto
½ xícara de curry
½ xìcara de açúcar mascavo
8 ramos de alecrim sem desfolhar

Misture os ingredientes em uma assadeira de teflon e leve ao forno preaquecido a 200ºC, por 20 minutos. Retire e coloque sobre papel-toalha. Quando esfriar, tire os ramos de alecrim, sirva em potinhos e decore com ervas frescas.

Eu quis dobrar a receita. Pra mim, dobrar é dobrar tudo, inclusive o tempero. Foi um erro. O segundo foi usar o forno elétrico em vez do a gás. Os 20 minutos de forno queimaram as passas. E, quando fui provar, estava intragável, de tanto curry e sal. Para resolver, nós retiramos as passas e os grãos de sal. Foi um trabalho de paciência enorme... até porque foi tanto azeite com curry que as mãos ficavam inutilizáveis em pouco tempo; precisávamos lavá-las o tempo todo. Depois dessa retirada, acrescentamos mais 200g de passas claras e levamos ao forno para tentar secar mais. Aí, fui atrás de mais grãos de sal, retirando todos os que sobraram. Sequei de novo com o papel toalha e servimos. O pessoal gostou bastante. 

Ficou assim
As lições sobre esse caso são:
- teste sempre as receitas antes das festas. Ainda bem que fizemos tudo bem cedo e deu tempo de corrigir. Se eu tivesse testado em casa, poderia acertar o tempero na segunda vez;
- muito cuidado ao dobrar os temperos das receitas. Leo olhava horrorizado pra mim enquanto eu colocava o curry e o sal grosso na mistura;
- o azeite dobrado também não funcionou. Mesmo com a secagem dupla no papel toalha e a volta ao forno, o petisco ficou bem molhado e manchando de amarelo as mãos de quem comia;
- curry é uma delícia, mas em excesso é um horror. 

Cansada, depois de estar tudo arrumado pra festa
O amigo oculto foi diferente também, chamamos de chocoetílico. As mulheres ganharam chocolates e os homens ganharam bebidas. Exceção pro Dandan, com oito anos de idade, que ganhou chocolate. Ele adora Ferrero Rocher! O site do Amigo Secreto facilita bastante a vida, mas traz um problema. Sempre que sorteamos presencialmente, há a regra da família: eu  não posso tirar nem ser tirada por alguém da minha família, pra ficar mais divertido. Mas o site não respeita isso. Então... eu tirei a Flavinha, minha cunhada, e fui tirada pela Margá, minha sogra. O Dandan tirou o pai dele e a Fabi tirou o marido. Perde um pouco a graça, mas mesmo assim foi muito divertido. Ganhei um monte de chocolate meio amargo, que eu amo!

Foi o primeiro reveillon do Miguel e foi tão bacana que estamos programando uma festa por mês. Temos aniversários em todos os meses do ano, exceto janeiro. Então, em janeiro, vamos festejar que não há aniversariantes.

;-)