quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Desafio Literário - Dezembro: As Brumas de Avalon - Vol.1

Acho que li As Brumas de Avalon - Vol.1 - A Senhora da Magia na época errada. Gostaria de ter lido enquanto tinha uns 15, 16 anos, mas não tive a oportunidade. O tema sempre me agradou: Avalon, celtas, druidas, magia, Rei Artur, Morgana. Nessa época o filme Lancelot, com Richard Gere e Sean Connery estava nos cinemas e eu vi repetidas vezes. A primeira, com minha amiga Vanessa. Saímos do cinema suspirando.

As Brumas de Avalon é bem bacana, mas tem cheiro de literatura de adolescente. A história começa com Morgana das Fadas falando sobre o rei Artur e o mundo governado por ele. É só a introdução, a narrativa tem início no castelo de Tintagel, na Cornualha, com Morgana ainda bebê, no colo de sua mãe, Igraine. Ela é filha de Avalon, mas saiu da ilha com uma missão: casar-se com Gorlois, um bretão de orientação romana que vive em guerras.

O mundo das sacerdotisas de Avalon vive se cruzando com o mundo "real", e é com a intervenção da Senhora da Magia, Viviane (irmã de Igraine), que Gorlois morre e Uther é aclamado Grande Rei da Bretanha. Ele se casa com Igraine e têm um filho, Artur, que nasce com a missão de unificar a terra e expulsar os saxões. Porém, a criança enfrenta a rejeição dos outros candidatos a "Grande Rei" e precisa ser criado longe dos pais. Morgana, que não aceita Uther e se sente rejeitada pela mãe, é enviada a Avalon para ser treinada como sacerdotisa e, um dia, assumir o lugar da Senhora da Magia.

Os mistérios de Avalon são, ao mesmo tempo, o ponto alto e o mais confuso do livro. Se é divertido participar de um mundo diferente, é também tenso entender o funcionamento dos rituais e dos motivos de Viviane.

Neste primeiro volume, aparecem personagens comuns da história: o mago Merlin, Lancelote e Guinever (não vou ser capaz de reescrever o nome dela com a grafia que a autora usa). A espada Excalibur também aparece, mas de forma diferente do que é mais contado: não foi cravada em uma pedra e só um Grande Rei de bom coração conseguiria tirá-la de lá.

Acredito, mesmo, que curtiria mais o livro há uns anos. Mesmo assim, estou curiosa pelo fim da história. Já comecei a ler o volume 2 - A Grande Rainha.