quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Piracanjubando #1

Foram vários dias de festa, com muita gente bonita, legal, simpática, bem humorada e a família Borges, a mais legal do mundo. Vim embora com o coração apertadinho de saudade. Se a festa de 2010 (aqui, aqui, aqui e aqui) já foi tudo de bom, essa não deixou por menos.

Não dá pra contar tudo o que teve por lá, só um breve resumo. E sem fotos, porque tivemos um problema técnico que só será resolvido na próxima segunda.

Teve gente que:
- Infelizmente, ficou de fora, perdeu a festa e fez muita falta;
- Chegou antes da festa começar;
- Foi embora antes e fez muita falta;
- Chegou depois, mas aproveitou bem;
- Ia fazer toshca pra todo mundo, mas acabou não fazendo;
- Quis descobrir o que eu falei com Leo pra convencê-lo a ir dormir;
- Espalhou outra versão dessa história só pra me fazer ficar constrangida (né, Leo?);
- Se divertiu muito antes de dormir (e depois também!);
- Pediu socorro pro Chapolim Colorado;
- Chutou que era grande a chance do bebê ser menina;
- Respondeu que sim, uma chance de 50%;
- Trocaria tudo por uma cajuína;
- Errou a letra da música. Mas tudo bem, a gente não entende inglês mesmo... ou seria latim?;
- Observou bem as oportunidades;
- Recebeu a visita de um príncipe;
- Não entendeu onde o príncipe estacionou o cavalo e o que foi que a montaria comeu;
- Que não tirou uma música da cabeça ("mas tem que ser assim, pra ser de coração, não diga não precisa ah, ah, ah...")
- Desenterrou música de Erasmo Carlos;
- Não sabia onde iam ligar a luz da tenda;
- Respondeu que ligariam a luz na máquina de lavar (o Leo não é nada educadinho, hahahaha);
- Tomou mangada;
- Prometeu algo se tomasse mangada;
- Vai passar no vestibular poque o Thiago tomou mangada;
- Gritou: "Vai, entra, Leandro!";
- Gritou pro Leo ir mais pra cima e balançar, antes de comemorar porque entrou tudo;
- Enlouqueceu ao som de "Esse seu cabelo cor de ouro que me deixa louco";
- Descobriu novas funções para certo óleo artesanal que serve para tudo;
- Mudou de time - de Vila Nova pra Verdão;
- Botou a culpa na canela da cachaça;
- Acreditou que rabo de vaca não tem osso;
- Afirmou, categoricamente, que jacaré não é vaca, velho!.



E também teve:
- Show do Leandro, do Breno e da Marcela; da Amanda e do Pedro; do Pedro e do Leo; do Pedro e do Leandro; do Pedro, do Leandro e do Leo; do Pedro e do Thiago. Não necessariamente nessa ordem, não necessariamente o mesmo Pedro;
- O Marcelo com uma dúvida terrível sobre o que fazer com o Pedro;
- O Leo contando sobre sua traumática experiência com Playboy e pimentas;
- Bruno, Breno e eu fugindo em um momento estratégico;
- A Ana Sílvia dizendo que somos um time e temos de enfrentar tudo juntos;
- A gente aprendendo que a Tia Tânia é quem sabe tudo sobre as regras do jogo de buraco;
- Alguém que estava procurando meia hora de amor. Quem será?;
- Visita noturna do pássaro azul;
- Pequi, linguiça, leitoa, pamonha (hummmm...), feijoada, bolinho de arroz, empadinha, esfiha, quibe, tropeiro, arroz completo. E muito doce. Uns quilinhos a mais não fazem mal, né?
- A Java sendo acusada de ser uma mãe desnaturada;
- A Java provando pra todo mundo que de desnaturada ela não tem nada;
- A Java roubando leitoa da mesa;
- Muito aniversário de novembro (Telmo, Thiago, Carmelita, D. Lídia e Bruno);
- Falso aniversário em novembro;
- Sacanagem no Facebook do Marcelo;
- Os filhotinhos mais fofinhos do pedaço;
- A Luciana presa nela mesma;
- João Neto com uma seleção musical fina e estilosa no iPhone.


E o principal:
- Muito carinho, amor e atenção vindo dos anfitriões. Hospitalidade nota mil!
- Muito carinho, amor e atenção da família inteira;
- Muito riso, muita graça, muita coisa boa;

Viva Lilita!