terça-feira, 18 de outubro de 2011

A volta da Sessão Monet

Logo que voltei a morar em Ouro Preto, os amigos do Leo resolveram fazer uma sessão de cinema todo domingo, pra minha tristeza. Porque era domingo de tarde que eu voltava pra OP. Foi o Tales quem deu o nome de Sessão Monet. Em geral era um filme divertido que eles pegavam na locadora e sempre tinha uma pizza, uns tira-gostos e o papo, que era o mais divertido. Eu ficava em OP frustrada por não participar. Ficava sabendo de tudo depois, pelo Leo.

Eu só participei de uma Sessão Monet, quando vimos Kill Bill (que eu amei), na véspera da minha cirurgia de desvio de septo e hipertrofia dos cornetos (ainda não sei o que essa segunda parte significa). E ela acabou quando a vida ficou mais corrida pra todo mundo e também quando o Leo foi morar em OP. Mesmo sem ser participante efetiva, fiquei órfã da Sessão Monet.

No último sábado, tivemos um encontro da 25ª turma do curso do Pablo Villaça. Desde janeiro deste ano, marcávamos uma sessão de cinema por mês, com buteco depois. A sessão de setembro acabou acontecendo na casa de um dos participantes. E de lá saiu a ideia de mudar de espaço: das salas de cinema pra sala de casa. Sábado nos reunimos novamente.

Dentre as várias opções de filmes, ficamos com Boogie Nights, que é ótimo, com um quê de Tarantino e um roteiro muito legal. Rolou um papo divertido, como sempre (a turma é mesmo muito bacana), teve pizza (hummmm) e até um bolo surpresa, feito pela Rafaella, para comemorar os aniversários recentes: Fabrício, eu e Daniel F.

Como boa saudosista que sou, senti um quê de Sessão Monet no ar. Mês que vem tem mais.

Pizza no fim da sessão

A Rafaella e o bolo (hummm....)

Daniel F., Alex e Rafaela. Detalhe pra toalha de mesa: Galo!

Bolo surpresa
O detalhe é o Guarapan que o Fabrício tomou. Meodeos, alguém gosta de Guarapan!