domingo, 30 de outubro de 2011

Desafio Literário - Outubro #novo





Último livro da trilogia Millenium, A rainha do castelo de ar é o fechamento de todos os acontecimentos do livro anterios, A menina que brincava com fogo. Como os outros dois livros da série, é fantástico e prende a atenção do leitor do começo ao fim.

O jornalista Mikael Blonkvist e sua amiga Lisbeth Salander precisam provar que há um um grupo conspiratório formado nos anos 1970 dentro da polícia secreta sueca. Esse grupo foi responsável pela internação de Lisbeth quando ela tinha 12 anos e ainda pretende manter a hacker presa em uma clínica psiquiátrica.

Enquanto ela está se recuperando de graves ferimentos, isolada em um hospital, Mikael e a equipe da revista Millenium encaram uma investigação pesada para provar que "A Seção" existe, está ativa e cometeu uma série de crimes. Além de tudo, eles precisam se proteger dos inimigos. A jornalista Erika Berger, colega de Mikael na Millenium, também enfrenta uma enorme pressão no trabalho e se vê perseguida por um ressentido que faz insinuações sexuais.

Erika é protagonista de um dos melhores momentos do livro, especialmente pros jornalistas. Ela dá uma aula de apuração para um jovem colaborador de um jornal diário, explicando que os profissionais da imprensa devem partir do princípio de que as vozes oficiais estão viciadas. O bom repórter não deve deixar de apurar uma notícia, só porque ela já vem pronta das fontes oficiais. Deu até orgulho de ler. Pena que não é assim na lida diária.

A rainha do castelo de ar mantém o ritmo dos primeiros livros e, ao final, dá um gosto de quero mais. Há notícias de que Stieg Larsson deixou outra história iniciada. Será?