segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A vida da dona de casa...

...é uma luta danada! Quem foi criança em BH nos anos 1980 lembra dessa propaganda da Minas Fogões:

A vida da dona de casa
é uma luta danada!
Quando estragar o fogão
a panela de pressão
não fique desesperada.
Existe uma loja
especial para a dona de casa
Minas Fogões
conserta e tem as peças
que você precisa.

Tentei achar o vídeo no Youtube, sem sucesso. Se alguém achar, me mande o link, por favor!

Foi inevitável lembrar dessa propaganda porque no dia primeiro dia de setembro voltei ao comando de uma casa. A Aline, a moça-que-trabalha-aqui-em-casa, pediu pra sair e virou a moça-que-trabalhava-aqui-em-casa. E foi de supetão, ela abriu mão até do aviso prévio e já está no novo emprego, de cozinheira em um restaurante.

Pela rapidez da saída dela, estamos às voltas com uma situação nova pra vovó. Sem empregada, ela dá uma desesperada. Basicamente porque ela acredita que vamos todos morrer de fome se não tiver almoço em casa. Mas como não havia substituta a postos, começamos, este mês, uma nova vida.

O primeiro passo, pra mim, foi fazer uma coisa que nunca fiz na vida: café. Não tomo café, nunca me interessei em fazer ou aprender. Mas a vovó adora, então anotei a receita (é, só vou pra cozinha com receita) e fiz meu primeiro café hoje pela manhã. E ficou bom, disseram os que tomaram (vovó, que não ia mentir, né?).

Também foi dia de pedir comida no marmitex, que por um acaso qualquer, chama Gigabite. Veio bastante comida, metade de tudo era arroz (ééééca!). Mas tinha feijão, frango, quiabo e angu. Bem mineiro. E tava uma delícia. Mas sobrou horrores. Daí, mudamos de tática: buscar comida em um self-service. É mais tranquilo, porque tem o arroz na medida certa pra quem come (eu passo). E tem opção.

Enfim, a limpeza da casa eu tiro de letra, e até gosto. Já acertei várias coisas, do jeito que fica melhor pra mim. E vamos em frente. Se aparecer uma nova pessoa pra trabalhar aqui, beleza. Se não, a gente se vira. E sem essa de "luta danada".