terça-feira, 23 de agosto de 2011

Filme: Toy Story 3

Toy Story 3 - 2010 (mais informações aqui)
Direção: Lee Unkrich
Roteiro: John Lasseter, Andrew Stanton
Elenco: Tom Hanks, Tim Allen, Joan Cusack

Em 1995, a animação Toy Story marcou o mundo do cinema. Foi a primeira animação 3D totalmente digital de Hollywood (o brasileiro Cassiopeia foi lançado antes). Emocionou muita gente a história dos brinquedos tradicionais versus as novidades cheias de botões e baterias. Quinze anos depois, Toy Story 3 encerra a saga dos brinquedos do garoto Andy.

Garoto? Andy é agora um jovem a caminho da faculdade, arrumando malas e separando objetos que quer levar com ele, os que vão para o sótão, os que vão para doação e os destinados ao lixo. O tom é de despedida: Andy vai tomar posse de uma nova fase em sua vida e seus brinquedos não cabem nela. Vemos, então, Woody e Buzz Lightyear sentindo o desespero de serem relegados por seu dono. Um engano faz com que o saco de brinquedos, que ia para o sótão, acabe indo para uma creche. E o que parecia lindo (brinquedos com novos donos) vira um terror, com a tirania de um ursinho fofucho e com pendências nazistas.

A direção de arte se esmera nos detalhes, tanto da casa de Andy quanto da creche. Uma cena, em especial, chama a atenção: o bebê da creche, com os olhos meio abertos, a lua cheia ao fundo, e toda a tensão dos brinquedos de Andy tentando fugir da prisão. Não é à toa que o filme foi indicado ao Oscar de Melhor Filme. A indicação é merecida.

O final é maravilhoso, um encerramento muito digno para a franquia. A emoção é pontuada com muita leveza e a mensagem que vem desde o primeiro filme, da relação entre a criança e o brinquedo, é reforçada com uma doçura surpreendente.

Mas o destaque mesmo é a relação entre a Barbie e o Ken. A cena em que ela precisa arrancar dele uma informação é hilária.