segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Conto: Ciúme

Ela era linda de manhã. Os olhos apertadinhos de sono, abrindo devagarinho, com aquele sorriso nascendo. Os cabelos meio bagunçados, o rosto marcado pelo travesseiro.

As horas do dia se passando e ela ficando a cada minuto mais bonita. Eu ficava ali perto, vendo ela cuidar da pele, passando base, pó, blush. Gostava de ver como os olhos dela ficavam mais luminosos quando ela passava rímel. Parece que eles cresciam, ganhavam ainda mais vida. E eu ali, embasbacado, a olhar para a mulher mais linda do mundo.

Às vezes ela me dizia para não ficar tão perto, pra arrumar alguma coisa pra fazer. Mas nada é mais importante que admirá-la. Eu fingia sair, mas ficava por ali, vendo no espelho a imagem dela refletida.

Linda, ela pega a bolsa e vem em minha direção. Me dá um beijo no rosto e sai. Penso, sempre, em correr, segurar seu braço e contar a verdade. Mãe, eu sou homem! Eu sei o que esse cara quer com você! Mas ela não vai me escutar.