sexta-feira, 1 de julho de 2011

Desafio Literário - Junho: Notícias do Planalto

Terminei agora há pouco, com um dia de atraso. Notícias do Planalto, de Mario Sérgio Conti, é um relato do posicionamento da imprensa antes e durante a eleição de Fernando Collor à presidência da República e também no período de dois anos em que ele exerceu o poder. O livro foi lançado em 1999 e causou grandes debates entre os veículos da grande imprensa. Eu o li pela primeira vez em 2001 e a reação que tive foi de raiva e vergonha. Não pelo trabalho do Conti, que é bem bacana (apesar dele colocar a revista Veja, da qual era diretor na época do impeachment, acima do bem e do mal, como o único veículo ético do país), mas pelas relações entre a imprensa e o poder. Dá nojo, de verdade.

O livro ficou anos na estante, até que foi emprestado a um amigo e, porteriormente, dado a ele de presente. Porém, resolvi ler o livro outra vez e solicitei no Trocando Livros e o incluí no desafio literário.

A segunda leitura não melhorou em nada a impressão anterior. A obra é muito interessante para análise da política e da imprensa, mas não deixa de dar raiva, agonia, vergonha pela quantidade de promiscuidades levantadas. Sim, eu sabia que é assim mesmo que funciona, mas ler tudo junto ali causa um efeito maior. São 700 páginas que reviram o estômago.

Apesar disso, a leitura é recomendada para todos. Conhecer a fundo essa parte da história do país é fundamental. Collor foi o primeiro presidente brasileiro eleito após os anos de ditadura militar e não conseguiu terminar o mandato devido às denúncias de corrupção, que levaram ao processo de impedimento. Foi o primeiro presidente brasileiro a sofrer um impeachment.

Em 1992, eu tinha 13-14 anos, estava na 8ª série, e acompanhava o noticiário, acreditando que foi a força dos caras pintadas (a turma da escola participou de manifestações) que tirou o presidente do poder. Quando somos jovens, é tão fácil acreditar nisso, né?