quinta-feira, 7 de julho de 2011

Bobagens ao vento e ao cento

Quando a gente nasce em uma família mega católica, corre alguns riscos de ficar bitolada. Tem hora que é preciso fingir que não tem nada mais acontecendo. Enquanto a vovó pula a televisão da Rede Vida pra Canção Nova, pra TV Século XXI, pra Rede Aparecida, fico do lado, com o computador ligado ou com um livro na mão, absorta no meu mundo. Só que tem dias em que é impossível não prestar atenção.

Uma senhora aparecia na Rede Vida, no programa do Padre Alberto Gambarini, dizendo que "pegou" uma depressão quando foi à praia e se curou lendo um livro, escrito pelo padre. Ela dizia que não precisou de médico nem tomou um só remédio. Logo depois, veio a propaganda do livro e do site do padre, que vende até a alma lá.

Olha a irresponsabilidade! A pessoa diz que "pegou" uma depressão, como se depressão fosse algo que se pegue, como um resfriado. Como se fosse algo que se "cura" lendo um livro qualquer. Pelamor! Depressão é uma DOENÇA séria! Não é qualquer tristezazinha que nos deixe abatidos e um livrinho com mensagens positivas ajuda a passar. É bem diferente disso, seu padre!

Ok, religião ajuda bastante quando a questão é ter esperança. Mas não é só isso. Na própria bíblia há um provérbio (se eu estou bem lembrada, é um provérbio) que diz que é preciso procurar um médico em caso de doença, porque ele é o instrumento de deus para a cura. Creia-se ou não, no deus cristão ou em qualquer outro, com doença não se brinca. Seja ela qual for.

Enquanto propaga besteiras em seu programa diário, o tal padre, além de vender de tudo em seu site, ainda encaminha cartas para certas pessoas pedindo doações de qualquer quantia, por boleto bancário, mensalmente. Por questões de criação, minha avó acha que deve colaborar. E todo mês, lá vou eu ao banco pagar o boleto do padre Gambarini. E nem dá pra tentar convencer a vovó a não dar dinheiro para essa pessoa ignorante e irresponsável.

Vovó sabe muito bem o que é uma depressão. Além de já ter visto muitas pessoas deprimidas, ela já viu as crises da Laura e é uma paciente. Afinal, não se faz 93 anos impunemente, vendo todos os amigos, companheiros e parentes morrendo, e permanecer uma fortaleza. Vovó tem depressão e toma remédios para ficar melhor. Ela não corre o risco de acreditar que se ler o livro do padre Alberto (ou se simplesmente ficar rezando) vai voltar a ser uma pessoa "normal".

Mas quanta gente pode cair nessa esparrela de achar que depressão se "pega" por aí e se "cura" com a leitura de um livrinho? Gente que pode deixar de procurar um médico e/ou um psicólogo, não tomar remédios, não aprender a conviver com a doença? O padre Gambarini vai se responsabilizar por elas???

É cada uma...