quarta-feira, 22 de junho de 2011

Vida em cidade pequena

Daí que eu fiz uma compra na Cacau Show daqui de Ouro Preto e "paguei" com cartão de débito. E a operação não completava. Daí falei pra Ísis, a moça que me atendeu, pra cancelar e tentar outro cartão. Enquanto ela clicava em cancelar, começou a sair a aprovação da compra. A via da loja apareceu com a compra aprovada, a minha via com a compra cancelada.

Em uma cidade normal, ia dar um pepino do caramba...

A Ísis só anotou meu telefone e me pediu pra conferir se tinha cancelado ou não. O procedimento padrão é que, em até 48 horas, o banco define se a compra está cancelada ou não. E a Ísis vai esperar, pacientemente, esse tempo todo pra saber se está tudo certo ou se eu estou devendo a compra pra ela (caso esteja devendo, só vou quitar a dívida segunda-feira!!!).

O interessante é que sou cliente da loja, mas não sou íntima de ninguém. Como aqui em OP quase todo mundo se conhece, ela sabe que pode me localizar, caso eu faça a louca da compra e desapareça.

Aqui em Ouro Preto ainda tem muito lugar com a famosa (e antiga) caderneta. Você faz uma compra e paga, de acordo com a anotação na caderneta. Isso funciona na padaria, no armazém, na quitanda, na sapataria, em praticamente todo lugar. E eu, ouro-pretana criada em BH, nunca me acostumei com isso, nem pratiquei. Parece coisa de um mundo paralelo.

Em tempo: liguei pro banco e tive a informação das 48h. Liguei pra loja, pra contar pra Ísis, mas o telefone não atendia. Fui lá, né? Pra garantir que, se houver cancelamento, segunda-feira eu volto lá e pago isso de vez!