quinta-feira, 9 de junho de 2011

Livro: Eu sou o número Quatro


Gostei do filme, como disse aqui. Dai quis ler o livro e fiz a compra que inaugurou o pedido virtual da @SetPalavras.

O livro, como é comum, tem mais detalhes que o filme. Mas é bem fraquinho. Não sei se é adolescente demais (e eu passei da fase) ou se é porque a revisão do texto não foi assim tão bem feita. O fato é que o filme foi mais emocionante, porque foi mais focado na ação (o dedo de Michael Bay, com certeza), enquanto o livro traz mais a história dos Lorienos, as memórias de John Smith e, mais no final, com a extensa luta entre John, seus amigos e os mogadorianos.

Se o objetivo era suprir o espaço deixado com o fim das sagas de Harry Potter e Crepúsculo, Eu sou o número Quatro tem vantagens e desvantagens. De bom, tem uma história interessante, uma luta por sobrevivência (e, em geral, gostamos de ver a luta do bem contra o mal), um romance adolescente muito bonitinho e um certo reforçoi de valores. O lado negativo é que a história principal envolve aliens... Como as outras envolviam bruxos, vampiros e lobisomens, pode ser que tenha apelo. Provavelmente, eu só lerei a continuação se houver bastante tempo livre. E tempo é o que mais está faltando por aqui.