sexta-feira, 24 de junho de 2011

Filme: Janela da Alma

Janela da Alma - 2001 (mais informações aqui)
Direção: João Jardim, Walter Carvalho
Roteiro: Walter Carvalho, João Jardim

Janela da Alma é um documentário que amealhou várias prêmios. Os diretores trazem à tona a discussão sobre as várias formas de visão. São 19 depoimentos de pessoas que têm algum tipo de deficiência visual ou que trabalham com outras formas de ver o mundo. O músico Hermeto Paschoal, o fotógrafo Evgen Bavcar, o escritor José Saramago, o cineasta Wim Wenders são alguns dos personagens do filme.

Todos eles chamam a atenção para a experiência da visão, que é mediada pela experiência de vida. Também lembram o tempo inteiro que há coisas que só são visíveis com os olhos da mente (algo como Exupery já havia dito em O pequeno príncipe: "o essencial é invisível aos olhos").


Em meio aos depoimentos de pessoas são cegas de nascença, que se tornaram cegas, que têm visão restrita o alguma deformidade, como olhos estrábricos, um deles chama mais a atenção. É Saramago, que atenta para o mundo moderno. Ele diz que hoje nos vivemos em uma espécie de caverna de Platão ao contrário, pois vemos o mundo não pelos nossos próprios olhos, mas pelas imagens do audiovisual.

O melhor do documentário são as cenas entre os depoimentos, sempre em desfoque, para que o espectador seja levado a sentir um pouco do que é a dificuldade de visão. Sem elas, seria apenas um amontoado de depoimentos (fundamentais, diga-se), mas que não trariam nada de diferente para a vida da audiência. Essas cenas pontuam com é passar alguns segundos, alguns minutos com a visão turva, desfocada, sem definição.

O documentário cumpre seu papel, ao fazer com que haja uma reflexão sobre a questão da visão. Com as imagens que trazem desconforto aos que tem a visão perfeita - ou quase -, os diretores conseguem aproximar o público do objeto de seu trabalho. Bela obra.