segunda-feira, 6 de junho de 2011

Conto: Rememorações

Oi! Nem sei porque estou escrevendo isso, mas estou tão inquieto que resolvi falar.

Esta noite sonhei com você. Não era nada lógico, você não deveria estar ali. Eu sei que os sonhos não são lógicos, mas esse tinha um desenrolar bem peculiar.

Era uma casa grande. Uma mistura da minha casa com outras, de amigos. Tinha muita gente lá. Mas todas as pessoas tinham um propósito ali. Era a festa de aniversário da Madu, que só vai acontecer na semana que vem. Você pode estar se perguntando quem é a Madu, e é por isso que eu digo que você não deveria estar lá. Ela é minha namorada. Foi ela quem substituiu você depois que tivemos aquela briga terrível, depois que os gritos que demos ficaram maiores que a nossa dignidade.

No sonho, você não era só a minha ex-namorada, você era a melhor amiga da Madu. Estava o tempo todo ao lado dela, sorrindo e admirando a festa que fazíamos.

Não, não era pra você estar lá.

Acordei pensando em você. Esqueci todos os outros detalhes do sonho, só pensava em você ao lado da Madu. E deu saudades. De um tempo em que éramos um casal saudável. Em que havia confiaça e o ciúme era só sinônimo de bem-querer. Saudade de um tempo que passou. Percebi que a raiva que nos separou um dia deixou de existir. E que sobrou um grande carinho por aquele tempo.

Sei que é demais essa intromissão na sua caixa de mensagens. Não quero causar problemas, para você ou para mim. Só queria agradecer por você ter feito parte da minha vida. Se hoje posso ser uma pessoa melhor pra Madu é porque não fui um bom namorado para você. Peço desculpas por tudo, pelos gritos, belas brigas, pela incompreensão, por ter abandonado você em uma hora tão difícil. E mais uma vez agradeço. Se não fosse por tudo isso, eu não seria hoje tão feliz.