quarta-feira, 4 de maio de 2011

Trinta e dois

Sei que é bem ruim ficar divulgando a idade dos outros, mas chutei o balde. Hoje o Leo faz 32 anos e a única coisa que eu posso fazer é agradecer por estarmos juntos. Sim, vai ter presente (dei meia camisa do Cruzeiro pra ele e ainda vai rolar Snatch em Blu-ray), vai ter torta alemã e vai ter jantar especial no Passo, pra nós dois comemorarmos. E vai ter música pra ele, aqui. Porque a Vanessa da Mata já disse exatamente o que eu queria dizer.





Ainda Bem (Liminha / Vanessa da Mata)



Ainda bem
Que você vive comigo
Porque senão
Como seria esta vida?
Sei lá, sei lá
Nos dias frios em que nós estamos juntos
Nos abraçamos sob o nosso conforto
De amar, de amar

Se há dores tudo fica mais fácil
Seu rosto silencia e faz parar
As flores que me manda são fato
Do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam
Os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte
Seria o acaso e não sorte

Ainda bem
Que você vive comigo
Porque senão
Como seria esta vida?
Sei lá, sei lá
Se há dores tudo fica mais fácil
Seu rosto silencia e faz parar
As flores que me mandam são fato
Do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam
Os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte
Seria o acaso e não sorte

Entre tantos anos
Entre tantos outros
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Esse encontro
Nós dois, esse amor.
Entre tantos anos
Entre tantos séculos
Que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões
Esse encontro
Nós dois, esse amor.