sábado, 28 de maio de 2011

Das ruas

Na década de 1980, em BH, havia um jornalista, o Ney Mourão, que levava seus versos aos muros da cidade e assinava assim: "Poeta a procura de editor". Alguns eram muito bacanas, lembro de um muro perto do meu ortodontista que ficou durante anos só com o grafite do Ney. Um tempo depois, ele finalmente editou um livro, o Notas dispersas pelas paredes. Foi inevitável lembrar dele hoje.


Estava eu voltando da minha aula de "como fazer sua carteira de habilitação valer de verdade" quando vi, num ponto de ônibus da Av. Nossa Senhora do Carmo, um papel colado. Parei pra ler (essa curiosidade um dia vai me matar) e era a letra de uma música que eu conheço bem, Pensei que fosse o céu, do Vander Lee:

Estou aqui mas esqueci
Minha alma num hotel
Meu coração na caneta
Meus desejos num papel

Estava ali, me confundi
Pensei que fosse o céu
O azul do mar me chamou
E eu pulei de roupa e de chapéu

 E estava assinado assim: Johnni e dois números de celular.

Achei graça e fui descendo a avenida. Mais pra frente, outro papel colado no ponto de ônibus, a mesma letra, a mesma assinatura e os mesmos telefones. Dessa vez falava que a banda tal (esqueci, acho que é Aerosmith) era a melhor banda de rock de todos os tempos (e daí lá foi eu lembrar de novo da banda mais bonita da cidade... que grude!).

No terceiro ponto de ônibus adiante, mais papéis colados. Dessa vez, tirei a câmera da bolsa e fotografei.











"Quebre a sua televisão, deixe o automóvel na garagem. Arranje um amor um no de cada vez. Celebre a alegria tocando tambor em nome dos Deuses. Tá  tudo ferrado e eu tô com você levando a bandeira da revolução" (copiado como está na folha colada).


"Banda Furto que faz música inteligente. MRT Mental Controle"

Acho bacanas essas iniciativas de arte urbana. Nesse caso, não é tão legal quanto o que o Ney Mourão fez, ainda mais que a pessoa copiou uma letra do Vander Lee mas, enfim, foi engraçado ver isso. Nesta última foto, mais embaixo, veio o mais bacana de tudo:

"Tu, mullher brasileiramente linda, mande-me mensagens, vamos tomar um capuccino juntos". 

Alguém se habilita?