segunda-feira, 30 de maio de 2011

Analogias estranhas

Na minha última sessão de análise, estava falando com a Flávia como estou em êxtase com esse ano. Os cinco meses de 2011 estão sendo fantásticos pra mim. Mesmo com a preocupação constante com a vovó (92 anos e 11 meses), está tudo tão favorável que a gente custa a acreditar.

Daí ela pontuou que é o resultado de um longo trabalho, de quase quatro anos. E lá fui eu retrucar com a minha sabedoria de butequim...

Sabe miojo? Na embalagem e na propaganda falam que fica pronto em três minutos. Mas não é assim. Você precisa ferver a água. Sei lá quanto tempo. Depois, coloca o macarrão e espera os tais três minutos. Ou mais, ou menos. Tem gente, como eu, que tira a água toda e coloca requeijão. Tem que coloque manteiga ou outro complemento qualquer. Não importa. O que importa é que aquela maçaroca toda só vira miojo quando você, finalmente, coloca o tempero.

Sacou? Pra mim, 2011 está sendo como colocar o tempero. Daqui a pouco vai estar no ponto pra degustar.

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Update: o post foi programado pra hoje. O que eu não poderia imaginar é que, antes de me lembrar disso e desprogramar, recebi a notícia de que meu tio-avô faleceu. Aquele que estava hospitalizado. Vovó está aqui ao meu lado, lembrando de como ele era alegre antes da doença... Enfim, mais uma perda no caminho. E a vida segue.