sexta-feira, 11 de março de 2011

O nome, de novo

As eleições de 2010 marcaram a última vez em que me confundiram com outra Aline. De lá pra cá, foram cinco meses de calmaria, pra hoje, dia de tsunami no Japão, vir uma pequena onda de confusão.

Tudo começou com o e-mail que recebei do Ton, que tem uma agência de modelos no Espírito Santo. Ele queria falar com a Aline Monteiro de lá, que é produtora de moda. O Ton é uma pessoa muito bacana, que foi super educado ao responder meu e-mail padrão de aviso de destinatário errado.

Em seguida, uma pessoa me chama no Adium pra dizer que já chegou em Aracaju. E lá fui eu avisar que eu não era ela. E descobri que tem uma Aline Monteiro que é psicóloga e que mora em Salvador, prima da Nusa, a moça que me confundiu.

Eu já achava Aline o nome mais comum do planeta. Monteiro não é um sobrenome tão exclusivo assim, mas ultimamente tá me dando a impressão de que é o novo Silva.

E me faz lembrar de uma história que alguém da família contava. De um sujeito que tinha um nome tão comum, mas tão comum, que inventou um sobrenome para os filhos não sofrerem com homônimos. Acho que vou ter de caminhar pro mesmo lado...