terça-feira, 22 de março de 2011

Desafio Literário - Março: Elite da Tropa


Lançado em 2006, Elite da Tropa fez muito barulho. Foi escrito por dois ex-policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), André Batista e Rodrigo Pimentel, e pelo antropólogo Luiz Eduardo Soares. São dois relatos muito intensos, baseados na experiência dos dois ex-policiais.

A primeira parte é composta por uma espécie de crônica do cotidiano do BOPE. É um relato duro, que pode vezes dá ânsia de vômito; em outras, dor na consciência. Porque, inevitavelmente, todos nós fazemos parte dessa realidade louca da desigualdade social, da repressão, do crime, das suas motivações. Todas as histórias são narradas pro um oficial do Batalhão, que é incorruptível e segue a lógica de ação que aprendeu no pesado treinamento que nós pudemos ver em Tropa de Elite, filme baseado no livro. Mesmo frio e irônico, o policial é capaz de se sensibilizar ao receber um presente, resultado de uma de suas ações - e olha que contou com a ajuda de um antigo conhecido. Foi uma dar partes mais tocantes do livro, perceber que, por baixo da casca rígida construída pelo BOPE, há também um ser humano que guarda sentimentos.

Na segunda parte, um dos policiais que tem sua história contada na primeira etapa passa a ser protagonista. É uma trama intrincada, que envolve política em seu alto escalão, espionagem, contrainformação, facções criminosas, ilegalidades de todas as formas, violência, torturas. Mais uma vez, dá vontade de largar o livro de lado e fingir que aquilo tudo é só mais uma ficçãozinha. Porém, é impossível. A narrativa é ágil, apesar de dar engulhos. É inevitável ler até o final, para ver até onde vão as voltas e reviravoltas dessa história difícil de digerir.

Vale a leitura. E vale rever os dois filmes baseados nele.